O Teatro da Neura, durante todo o mês de março, apresentou um espetáculo que mexeu com as sensações e as opiniões do público por tratar da morte e da  nudez, temas que ainda são um grande tabu, de formas tão naturais.

Trata-se de “A Morta Mais Linda da Cidade”, que terá única apresentação, sexta-feira, 13, às 20 horas, no Teatro Armando de Ré, em Suzano, em virtude do aniversário do município e uma parceria entre a Secretária Municipal de Cultura e o grupo teatral dentro do projeto “Palco Aberto”.

Inspirado na obra “A Falecida”, de Nelson Rodrigues, a peça conta com ingresso gratuito e deve ser retirado com 1 hora de antecedência. O Teatro Armando de Ré fica na rua General Francisco Glicério,1.354, Centro. A classificação indicativa é de 18 anos, devido ao conteúdo do espetáculo.

Integrante da Teatrologia do Subúrbio, que realiza um estudo aprofundado das peças de Rodrigues, “A Morta Mais Linda da Cidade” convida o público a conhecer a história de Zulmira, que tem fixação pela morte e sonha com um enterro de parar o Rio de Janeiro e que faça inveja a sua prima, Glorinha, um exemplo de seriedade e bons costumes.

Para que a peça pudesse ganhar vida, a companhia teatral entrou em sala de ensaio em setembro do ano passado, em um dos processo mais íntimos da história do grupo, com a produção restrita aos atores e à equipe técnica. Isso se deu devido ao tema e à nudez, que se tornou personagem do espetáculo.

“Abrimos, no início, um chamamento para profissionais do audiovisual serem os responsáveis pelo registro da peça. No entanto, conforme o espetáculo foi amadurecendo, o elenco, por se sentir mais à vontade, decidiu tornar a sala de ensaio em um processo mais íntimo. Abrimos os ensaios semanas antes da estreia e quem viu se surpreendeu”, comenta Nicodemo.

Ainda segundo o diretor, a temporada está sendo uma experiência incrível, porque a peça está cada vez mais madura. “O elenco está visivelmente feliz. O espetáculo, a cada final de semana, mostra algo novo para nós. Tivemos apresentações muito boas, que serviram para percebermos que estamos no caminho certo. Houve um feedback sincero do público, que está reagindo da forma que esperávamos”, revela.

Em cena 

O ator Cauê Drumond, que dá vida ao personagem Funcionário e assina o conceito musical da peça, acredita que as apresentações estão sendo muito importantes para o elenco. “É uma forma de a gente ressignificar os personagens e entender como todo o processo da peça, que não foi longo, mas muito intenso. Também é uma maneira de compreender a temporada e reação do público, que tem sido muito generoso. Estamos dominando cada vez mais o espetáculo”, acredita.

Além de Drumond, “A Morta Mais Linda da Cidade” tem os atores André Antero, responsável pela maquiagem, Cibele Zuchi, Tuane Vieira e Michel Galiotto, que divide a produção com o jornalista Vinícius Amaral. A direção de movimento é de Lígia Berber, a assistência de registro, assim como o som, é de Bianca Alves, figurinos de Leandro de Santana, cenário e adereços de Gilson Peres e desenho de luz de Carlos Rei.