Suzano se despede das vítimas do massacre. Que Deus as receba e conforte os parentes e amigos
O velório coletivo reuniu, desde as primeiras horas da manhã dessa quinta-feira, cerca de dez mil pessoas/ Foto: Glaucia Paulino/Oi Diário
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Um cortejo acompanhado por familiares e amigos das vítimas do massacre na Escola Estadual Raul Brasil levou na tarde desta quinta-feira, 14, cinco corpos para o Cemitério Municipal São Sebastião.

No total, oito pessoas foram mortas no ataque realizado contra a escola na manhã de quarta-feira, 13.

Embaixo de chuva, centenas de pessoas acompanharam os carros que deixaram a Arena Suzano em direção ao cemitério.

O velório coletivo reuniu, desde as primeiras horas da manhã dessa quinta-feira, cerca de dez mil pessoas. Os veículos das empresas funerárias deixaram a arena com intervalos de meia hora.

O primeiro corpo a ser enterrado no Cemitério São Sebastião foi o de Samuel, que era escoteiro e gostava de desenhar, segundo os amigos. Os amigos escoteiros acompanharam o enterro uniformizado.

“Foi para a glória de Deus que Samuel morreu. Eu queria nesse momento encontrar as palavras certas para confortar o coração de vocês. É contra as regras da natureza um pai enterrar um filho. Deus está ao lado dos pais nesse momento. Nós o veremos na glória, Samuel”, disse pastor que conduziu a cerimônia.

Mais cedo, o corpo de Jorge Antônio de Moraes foi enterrado no Cemitério dos Ipês. Jorge morreu assassinado pelo sobrinho na loja de carros em que era dono.

Deixou mulher e três filhos de 27, 22 e 15 anos. Ele era dono de uma loja de vendas de carros usados, onde também funcionava um estacionamento e lava-jato.