O grupo “Rotary Club de Suzano e Amigos” assinou na manhã desta terça-feira, 24, o termo de adesão ao programa “Observando Rios”, da Fundação SOS Mata Atlântica, que disponibilizou ao colegiado um kit de análise das águas para ser utilizado no ribeirão Balainho.

O projeto de preservação do manancial, que nasce no limite entre Santo André e Suzano e deságua na represa de Taiaçupeba, é encabeçado por membros do próprio Rotary suzanense e conta com parceiros, entre eles Juliana Cardoso, e a professora Bianca Nunes, diretora da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Segundo explica Juliana, o kit foi solicitado por ela no mês passado, durante o “8º Fórum Mundial da Água”, promovido em Brasília, e do qual ela participou. Em reunião com membros da SOS Mata Atlântica, a especialista compartilhou os resultados até aquele momento contabilizados por quem trabalhava na conservação ambiental do Balainho e, ao mesmo tempo, sinalizou a importância de Suzano contar com o instrumento que abarca vidraria para coleta e análise de água, por meio de reagentes. Na oportunidade, a Fundação adiantou que o material poderia ser entregue, por meio do projeto “Observando Rios”. Hoje, o mesmo foi apresentado na sede do Rotary:

“O kit vai permitir que a equipe do projeto de preservação do Balainho tenha em mãos uma análise mais aprofundada face à qualidade da água do ribeirão. Estou extremamente feliz por esta conquista. Aproveitando a boa nova, hoje mesmo (24 de abril) demarcamos dois pontos do rio onde, no mês que vem, serão feitas as primeiras coletas de amostras”, detalha Juliana.

Os locais ao longo do curso do rio, na região da Quinta Divisão, no distrito de Palmeiras, foram demarcados logo após a entrega do kit do programa “Observando Rios”, que, de acordo com a SOS Mata Atlântica, tem 25 anos de existência e é colocado em prática em 17 estados brasileiros impactados pela Mata Atlântica.

Com a entrega oficial do kit, a partir de agora, os dados sobre a saúde da água do Balainho serão inseridos no Banco de Dados da SOS Mata Atlântica e passarão a integrar um mapa de estudo da Fundação.

Escola

Ainda nesta terça-feira, o grupo encabeçado pelo Rotary esteve na Escola Estadual (E.E.) “Helena Zerrenner”, em Palmeiras, para apresentar o projeto de preservação do Balainho aos alunos da instituição de ensino.

Segundo o presidente do Rotary Club de Suzano, Alberto Kariya, boa parte dos educandos que acompanharam as apresentações, hoje, mora na região por onde passa o ribeirão:

“Por isso, é importante este trabalho de conscientização. No mês que vem, os estudantes vão participar da primeira coleta no rio. A ideia é envolver a população local neste projeto de preservação ambiental”, detalha o rotariano.

Outras ações

Há 10 dias, a equipe do projeto de preservação do Balainho plantou 50 mudas nativas da Mata Atlântica nas margens do ribeirão, conforme relembra Juliana:

“Estas mudas se transformarão em mata ciliar, vegetação que serve de proteção para o rio”, finaliza a engenheira ambiental.