Suzano é premiado em Fórum Estadual por combate à tuberculose

0
76
Campanha contra tuberculose posto de saude
Campanha contra Tuberculose posto de saude

Suzano foi premiado durante o Fórum Estadual de Tuberculose 2017 com a honraria “Excelência” por atingir as metas de combate à tuberculose no município. Em cerimônia oficial de premiação aos municípios, aos laboratórios e às unidades do sistema prisional que atingiram os objetivos de controle da doença no Estado, Suzano alcançou o índice de 87% de cura, o que representa 2% a mais do que estipula o Ministério da Saúde. A solenidade foi abrigada ontem (25 de setembro) no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo-SP.

A melhoria na qualidade do controle da enfermidade no município materializa todo o trabalho desempenhado pela Prefeitura de Suzano, por meio da Secretaria Municipal de Saúde. Segundo o governo do prefeito Rodrigo Ashiuchi, a taxa de abandono de pessoas com tuberculose na cidade caiu neste ano, passando de 14% para 7%. Atualmente, a municipalidade conta com aproximadamente 70 pacientes em tratamento:

“Estamos muito contentes com mais essa conquista para Suzano. Ao longo de 2017, intensificamos o tratamento da tuberculose em toda a cidade e mobilizamos todos os nossos equipamentos de saúde na campanha de prevenção e de tratamento da doença. A cura de 87% dos pacientes em tratamento no município representa a forma como tratamos esse mal, desde a identificação do problema. Vale lembrar, ainda, que reduzimos pela metade a taxa de abandono dos tratamentos”, observa o secretário de Saúde de Suzano, o médico Luis Claudio Rocha Guillaumon.

O interessado no exame para a detecção da tuberculose, que é oferecido na rede básica de saúde de graça, deve ir até uma das 22 Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Suzano para a coleta de escarro, conforme explica Marcileide Spagnol Goes Silva, coordenadora municipal do Programa de Combate à Tuberculose:

“Qualquer cidadão que estiver com os sintomas da tuberculose e procurar um dos 22 postos de saúde da cidade é prontamente atendido. O escarro do paciente será, então, colhido. No dia seguinte, o paciente terá de passar por uma nova coleta da secreção, desta vez em jejum e em casa, para depois nos trazer (posto de saúde) o material. O resultado sai em sete dias”, finaliza.

Se o resultado da análise for positivo, o paciente será encaminhado para tratamento na rede básica. Além disso, o próprio laboratório municipal vai acionar a Vigilância Epidemiológica e o Ambulatório de Tuberculose quanto à ocorrência:

“Depois disso, vamos colher o sangue do paciente positivado para testes de HIV e sífilis. Ele ainda será submetido a um raio-X do tórax. Depois, passará por consulta com um tisiologista – médico especialista em tratamento de combate à tuberculose.

O tratamento tem duração de seis meses. De acordo com Guillaumon, o método é longo e precisa ser encarado de forma séria:

“Infelizmente, muita gente não segue o tratamento de forma séria, acha que é uma tosse boba e, com isso, os casos da doença só aumentam e se agravam. Por outro lado, a tuberculose é uma enfermidade que tem 100% de cura. Mas, o tratamento deve ser seguido à risca. Caso contrário, o paciente corre sérios riscos”, alerta o gestor.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO