Sucesso absoluto, camisa gera conflito entre Corinthians e Instituto Senna
Um acordo proíbe que a camisa seja vendida fora do Brasil, o que vem gerando certo incômodo entre clube e o Instituto Ayrton Senna/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

O novo terceiro uniforme do Corinthians – que homenageia Ayrton Senna, um de seus torcedores mais ilustres, e que será usado pela primeira vez nesta sexta-feira, diante do Flamengo, em Itaquera – é um sucesso.

Em menos de uma semana, o primeiro lote de venda da camisa preta e dourada, com o autógrafo do piloto no centro, já está perto de se esgotar. Por causa da fama e adoração do ídolo brasileiro morto em 1994, o lançamento da camisa gerou repercussão internacional e diversos fãs de Senna ao redor do mundo demonstraram interesse em adquiri-la.

Mas há um problema: um acordo proíbe que a camisa seja vendida fora do Brasil, o que vem gerando certo incômodo entre clube e o Instituto Ayrton Senna.

As três partes envolvidas (Corinthians, Nike e Ayrton Senna) confirmam que, por causa de um contrato de licenciamento, a camisa não pode ser comercializada no exterior. O clube diz ter feito “todos os esforços” para negociar um novo acordo, o que também agradaria a fornecedora de material esportivo.

Mas por enquanto os familiares do ex-piloto se limitam a dizer que “o sucesso desta homenagem chegou de forma impressionante aos fãs no exterior e esta nova possibilidade pode ser estudada no futuro, mas no momento nosso foco é total com a ação no Brasil, que está gerando uma excelente repercussão”.

O Departamento de Marketing do Corinthians vem tentando expandir as vendas de suas camisas em lojas no exterior – até pouco tempo atrás, o único clube sul-americano a expor com frequência suas camisas na Europa era o Boca Juniors, da Argentina.

No mês de julho, foram vendidas mais de 400 camisas alvinegras na Inglaterra e mais de 170 na França, informou o clube. Enquanto não entrar em acordo com o Instituto Senna, porém, apenas os modelos 1 e 2, sem nenhuma referência ao piloto, poderão ser comercializados.