Solitários na vida e na morte: assassinos são enterrados em Suzano sem direito a velório
Guilherme Taucci e Luiz Henrique praticaram na manhã de quarta-feira, 13, o maior crime da história de Suzano/Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Os corpos dos autores do massacre, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, 25, permaneciam no Instituto Médico-Legal (IML) de Mogi das Cruzes, na manhã dessa quinta-feira, dia 14.

De acordo com informações de veículos de comunicação da Capital eles seriam enterrados em Suzano, no começo dessa tarde (por volta das 12h30), sem a realização de velório.

Segundo informações da assessoria da Prefeitura de Suzano, Guilherme Taucci Monteiro seria enterrado no cemitério São João Batista, conhecido como cemitério do Raffo. Luiz Henrique de Castro seria enterrado no cemitério São Sebastião.

Guilherme Taucci e Luiz Henrique praticaram na manhã de quarta-feira, 13, o maior crime da história de Suzano. Armados eles invadiram a escola estadual Raul Brasil que fica na área central da cidade e mataram sete pessoas, sendo cinco alunos e duas funcionárias do colégio.

Em seguida, um dos assassinos atirou no comparsa e, então, se suicidou. Pouco antes do massacre, a dupla havia matado o proprietário de uma loja da região.

Os assassinos – Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 – eram ex-alunos do colégio. A polícia diz que os dois tinham um “pacto” segundo o qual cometeriam o crime e depois se suicidariam.

Ainda não se sabe a motivação do crime. Foram feitas buscas na casa dos assassinos, e a polícia recolheu pertences dos dois. As famílias dos criminosos também foram ouvidas.

Ministério Público fala em investigar o caso  

Ainda na noite de quarta-feira, o Ministério Público de São Paulo informou que vai investigar em que circunstâncias ocorreram as dez mortes do massacre em Suzano. O trabalho será realizado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

O objetivo é apurar a possível existência de organização criminosa que tenha colaborado para “eventual cometimento de crimes relacionados a terrorismo doméstico, como apontam os primeiros indícios”, diz o órgão. O termo terrorismo doméstico é usado para definir atentados terroristas cometidos por cidadãos contra o seu próprio povo ou governo.

Câmeras de segurança captam imagens cruéis

Uma câmera de segurança registrou o momento em que Guilherme Taucci Monteiro entra na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, e atira em quem estava logo após a porta de entrada. O vídeo mostra o momento em que Monteiro entra na escola, saca a arma e aponta para as vítimas.

Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, eram ex-alunos da instituição. Eles estavam em um carro branco alugado, estacionaram em frente ao portão do colégio e entraram pela porta da frente, que estava aberta. A mesma câmera mostra, minutos depois, muitos alunos fugindo.