Sem os três vereadores que receberem ‘mesada’, Câmara deve iniciar hoje o processo para cassar o mandato do prefeito Jarbas
Faz duas semanas que o Jornal Oi tenta entrevistar o prefeito de Biritiba – que, entretanto, tem fugido da imprensa/ Foto: Glaucia Paulino/Oi Diário
Prefeitura de Mogi das Cruzes

A direção da Câmara de Biritiba Mirim informou por volta das 11 horas desta segunda-feira, 27, que o caso do prefeito Jarbas Ezequiel (PV) deverá ser analisado na sessão ordinária que vai começar às 15 horas.

De acordo com a assessoria do Legislativo de Biritiba, desde as primeiras horas da manhã de hoje, a direção da Câmara está promovendo uma ‘correria’ para garantir a participação na sessão dessa tarde dos três vereadores que estão substituindo os três parlamentares que foram afastados na última sexta-feira.

Os três foram afastados porque foram filmados recendo dinheiro (mesada) das mãos do prefeito Jarbas.  A decisão foi tomada durante a sessão extraordinária na Câmara Municipal. O vídeo com a distribuição da mesada veio a público na última quarta-feira e revelou o prefeito retirando de uma sacola de maços de dinheiro e entregando a Eduardo Melo (DEM), José Rodrigues Lares conhecido como “Zé do Brejo” (PV) e Paulo Rogério dos Santos, o “Paulinho da Júlio” (PTB).

Desde então, eles não haviam comparecido ao trabalho. Participaram apenas da sessão extraordinária. O pedido de afastamento do prefeito Jarbas (em razão da compra de apoio dos três vereadores) deverá ser analisado ainda nesta segunda-feira e existe a possibilidade de ser aberta uma Comissão Processante (CP) ou uma Comissão Processante de Inquérito (CPI).

O que a assessoria da Câmara não adiantou ao Jornal Oi nessa manhã, foi à informação sobre as chances de a Câmara votar imediatamente para que o prefeito não atrapalhe as investigações.

A situação política, administrativa e judicial do prefeito Jarbas é insustentável. Sendo que no início deste mês o Poder Judiciário já tinha determinado o seu afastamento do cargo em razão de envolvimento com pessoas condenadas por envolvimento com o crime organizado.

Jarbas mantém-se no cargo por que teve o direito de recorrer da sentença de afastamento ainda no cargo. Faz duas semanas que o Jornal Oi tenta entrevistar o prefeito de Biritiba – que, entretanto, tem fugido da imprensa.