prefeito de Itaquá é expulso do PSDB por ‘traição’. Mamoru não acata a decisão
Na eleição ao governo do Estado, Mamoru apoiou o candidato Márcio França (PSB) que foi derrotado por Doria no 2º turno em uma disputa dramática/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Suzano Refis

A reportagem do Jornal Oi obteve no final da manhã desta quarta-feira, 7, a informação que o Diretório Estadual do PSDB expulsou do partido o prefeito de Itaquá, Mamoru Nakashima, sob a alegação de que ele traiu a legenda e principalmente o então candidato (agora governador eleito) João Doria.

Na eleição ao governo do Estado, Mamoru apoiou o candidato Márcio França (PSB) que foi derrotado por Doria no 2º turno em uma disputa dramática.

Logo após o 2º turno, o Oi Diário questionou o prefeito e sua assessoria sobre uma possível punição do PSDB em razão da escolha política e eleitoral de Mamoru: apoiar o candidato do PSB.

Na oportunidade em que o Oi questionou o prefeito de Itaquá sobre a ‘fúria de Doria’, ele já tinha sido afastado do PSDB.

“A expulsão foi definida ainda antes do segundo turno e o prefeito e Itaquá foi notificado dessa decisão tomada pelo comando do PSDB no Estado. A meu ver foi uma decisão acertada, pois o prefeito de Itaquá traiu o seu partido e prejudicou o candidato Doria na disputa pelo governo do Estado”, destacou uma fonte do comando do partido que pediu anonimato.

No início da tarde desta quarta-feira a reportagem do Oi voltou a questionar o prefeito de Itaquá sobre a punição imposta pelo PSDB do Estado de São Paulo e dessa vez o prefeito não se esquivou.

Confira a nota encaminhada ao Oi pelo prefeito de Itaquá que tem cerca 350 mil moradores e eleitoralmente (número de eleitores) é uma das cidades mais importantes da Grande São Paulo.

Mamoru afirma que sempre honrou o partido

“O Prefeito Dr. MAMORU NAKASHIMA declara que sempre honrou e sempre honrará com todos os compromissos partidários com a Instituição PSDB, partido pelo qual foi reeleito Prefeito no primeiro turno das eleições 2016 com 103.098 votos correspondente a aproximadamente 64%, sendo eleita  uma bancada de 6 Vereadores, e que entende neste momento a turbulência e pressão pela qual passa a sigla, se manifesta contrário ao entendimento do Diretório Estadual, recorrendo ao Diretório Nacional do  PSDB em Brasília que com toda a certeza vai rever o equívoco e constrangimento do Diretório Estadual, que adotou medida contrária ao Estatuto do Partido”. A conferir.