Para continuar mantendo peso em decisões na Câmara dos Deputados, o PRB deverá desistir de lançar Celso Russomanno à disputa para o governo do Estado de São Paulo neste ano. A informação é da coluna de Andreza Matias no Estado de São Paulo.

O deputado lidera as pesquisas de intenção de voto, segundo o Datafolha, com margens em torno de 25%, na frente do atual prefeito de São Paulo, João Doria (19%) e do presidente da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo), Paulo Skaf (13%). Em um cenário com o senador José Serra disputando, o deputado continua na liderança com 27% das intenções, contra 16% de Skaf e 14% do tucano.

Para o partido de Russomanno a presença do deputado é determinante na Câmara onde tem conseguido manejar 22 deputados federais. Ainda, segundo a coluna do Estado, o afastamento do parlamentar nas disputas começou a ser discutido na terça-feira passada quando ele teria ouvido que é mais importante para a sigla que concorra à reeleição para a Câmara.

“O PRB realmente quer que eu seja candidato a deputado para fazer mais tempo de TV e aumentar o fundo partidário. Mas ainda preciso discutir com a Executiva”, confirmou Russomanno. Aliás, R$ 1 milhão dos R$ 2,9 milhões-ano de fundo partidário que o PRB recebe é graças aos votos que o parlamentar recebeu ao ser eleito em 2014.

O PRB agora estuda quem apoiará na disputa para o governo do Estado. Russomanno já teve encontros com o vice-governador de SP, Márcio França (PSB) e agendou reunião com o prefeito João Doria (PSDB). O termo cavalo paraguaio destacado no título dessa reportagem tem a ver com um ditado que atribuiu aos cavalos do Paraguai a ‘qualidade’ de sair na frente dos adversários nas corridas, mas serem ultrapassados e derrotados em todas as disputas. Russomano já perdeu diversas eleições em São Paulo.