Quatro deputados da região disseram sim a Temer; deputadas votaram não

0
124

Como já era de se esperar, o presidente Michel Temer (PMDB), a custo de muitas barganhas com deputados e partidos conseguiu na noite de quarta-feira arquivar a 2ª denúncia da Procuradoria Geral da República.

Por 251 a 233 votos, a denúncia de obstrução da Justiça e organização criminosa, foi rejeitada pelos deputados federais. Na terça-feira, véspera da votação no Congresso, o Oi procurou os deputados mais bem votados nas cidades da região do Alto Tietê: nenhum deles quis antecipar como votariam. Na quarta-feira não teve como, pois, a imprensa mostrou o voto de cada um deles.

Dos parlamentares mais conhecidos e votados da região, quatro votaram pelo arquivamento da denúncia e duas deputadas optaram por votar a favor do afastamento de Michel Temer enquanto a denúncia fosse investigada. Renata Abreu (Pode/PTN) e Keiko Ota (PSB) defenderam que Temer fosse investigado.

Os deputados Celso Russomanno (PRB), Guilherme Mussi (PP), Marcio Alvino (PR) e Roberto de Lucena (PV) votaram conforme a orientação do presidente Temer – ou seja para que a investigação não aconteça. Até a conclusão dessa nota, nenhum dos quatros deputados teve a preocupação de explicar/justificar os motivos que os levaram a preservar o resto do mandato do presidente, considerado o mais impopular do mundo.

Mais complicado que a falta de justificativas e explicações (devidas aos eleitores e a população em geral) os deputados seguem sem prestar contas das emendas parlamentares que já enviaram para Suzano e outras cidades do Alto Tietê, levando-se em considerado principalmente o fato de que o governo federal teria liberado mais emendas aos deputados que salvaram o pescoço de Temer.

Keiko Ota vota contra arquivamento de denúncia a Temer pela 2ª vez

A deputada federal Keiko Ota (PSB) votou contra o arquivamento da denúncia por obstrução da justiça e organização criminosa do presidente Michel Temer. No plenário da Câmara dos Deputados, Ota se pronunciou de forma contundente. “Por justiça, pelo fim da impunidade e por direitos humanos para todos, o meu voto é não”, disse Keiko.

A deputada manteve seu voto inalterado pela segunda vez, por ocasião da votação da denúncia por corrupção passiva contra o presidente, em agosto. Única deputada federal do Alto Tietê a votar contra o presidente nas duas ocasiões, Keiko Ota enfatizou que não aceita pactos. “Faço política limpa”, expressou Ota.

Deputada garante já ter liberado mais de R$ 4,5 mi em emendas para a região

A deputada garante estar em sintonia com os anseios da população do Estado de São Paulo. “O país está sendo passado a limpo, haja vista as condenações de vários parlamentares na operação Lava Jato pela justiça brasileira”, conclui. Em resposta a questionamento do Jornal Oi, Keiko informou já ter destinado mais de R$ 4,5 milhões em emendas parlamentares para a região do Alto Tietê.

A soma inclui os municípios de Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Suzano, Poá, Ferraz de Vasconcelos e Biritiba Mirim nas áreas de saúde, segurança e desenvolvimento urbano. Keiko foi responsável por enviar recursos à 1ª Patrulha Maria da Penha do Estado de São Paulo, em Suzano.

 


CLIQUE AQUI PARA SEGUIR NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK


 

COMPARTILHAR