O advogado Gabriel Lins, garantiu que ele e os outros quatro procuradores que foram afastados do cargo pelo prefeito Biruta, não foram informados sobre os motivos/ Foto: Reprodução Facebook
Prefeitura de Suzano

Em conversa com a reportagem do Jornal Oi na tarde dessa sexta-feira, 10, o procurador da prefeitura de Ferraz de Vasconcelos, o advogado Gabriel Lins, garantiu que ele e os outros quatro procuradores que foram afastados do cargo na quinta-feira, 9, pelo governo do prefeito Zé Biruta, não foram informados sobre os motivos do afastamento.

“Cheguei para trabalhar e encontrei seguranças na entrada da sala da Procuradoria Municipal. Eu e os outros procuradores não fomos informados porque fomos afastados, mas o fato é que o prefeito da cidade tem autoridade para determinar o afastamento e por esse motivo os procuradores acataram a decisão administrativa do prefeito”.

Ainda segundo Lins, caso os procuradores não tivessem respeitado a determinação, estariam praticando uma ilegalidade. “É preciso deixar bem claro que o afastamento é irregular e abusivo principalmente porque a prefeitura não informou os motivos para esse afastamento. Já acionamos o Ministério Público e avalio que assim que no mesmo momento em que a Justiça for informada (pelo Ministério Público) dessa decisão abusiva e sem motivos, do governo, seremos imediatamente reconduzidos aos cargos”, disse.

Ele garantiu que o afastamento de cinco dos seis procuradores contratados da prefeitura não teria qualquer ligação com a denúncia da entidade “Mulher Sem Medo”. Nas últimas semanas essa entidade denunciou Gabriel Lins e o procurador Marcus Vinicius de protagonizarem abusos sexuais contra funcionárias da prefeitura de Ferraz.

“São denuncias infundadas e no momento certo vou processar os autores (no caso a entidade ‘Mulher Sem Medo’) dessas acusações falsas e levianas”, argumentou.

O procurador Gabriel Lins acrescentou que a prefeitura de Ferraz poderá sofrer com sérios prejuízos em razão do afastamento dos procuradores. “Tem processos que somente os procuradores podem se manifestar e como estamos impedidos de fazer o nosso trabalho, a prefeitura e a cidade poderão grandes prejuízos em razão da falta de acompanhamento e manifestação dos procuradores municipais”, explicou.

O governo do prefeito Zé Biruta poderá se manifestar sobre o assunto nas próximas horas.