Procuradores de Ferraz perdem mais uma: agora eles não podem mais investigar e denunciar ‘seus chefes’
Zé Biruta, o seu vice e também o assessor Fernando Felippe já foram denunciados pelos procuradores em razão de possíveis irregularidades administrativas/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi

Advogados de Ferraz de Vasconcelos revelaram para a reportagem do Jornal Oi Diário que os procuradores (advogados contratados por meio de concurso para defender os interesses da prefeitura) ‘levaram mais uma invertida’. Dessa vez eles teriam sofrido uma dura derrota imposta pelo Poder Judiciário.

Como a informação obtida pelo Oi ainda é extraoficial, tantos os procuradores quanto à prefeitura de Ferraz e também os representantes do Ministério Público e do Judiciário ferrazense poderão se manifestar sobre o assunto nas próximas horas.

Mas, de acordo com as primeiras informações transmitidas à reportagem por advogados que acompanham a ‘verdadeira guerra campal’ em que se transformou a disputa entre o governo de Ferraz (leia-se Zé Biruta e o assessor Fernando Felippe) e os procuradores da prefeitura, uma decisão recente da Justiça de Feraz impede (impedirá) a Procuradoria Municipal de apresentar denúncias contra os representantes do governo municipal (no caso em questão o prefeito, o vice-prefeito e provavelmente secretários municipais).

Essa decisão da Justiça, que teve parecer favorável do Ministério Público, representará um duro golpe na atuação dos procuradores em Ferraz (isso no caso de eles voltarem às suas funções) uma vez que nos últimos anos eles se destacaram em comparação aos colegas que atuam nas prefeituras das demais cidades do Alto Tietê, exatamente pelas denúncias que levaram ao Ministério Público e ao Judiciário contra os principais representantes do governo de Ferraz.

O ex-prefeito Acir Filló (que segue preso) foi o alvo principal e preferencial dos procuradores em Ferraz, mas o atual prefeito Zé Biruta, o seu vice, o Dr. Karim e também o assessor Fernando Felippe já foram denunciados pelos procuradores em razão de possíveis irregularidades administrativas.

A partir de agora os procuradores não poderão mais denunciar ‘seus chefes’ uma vez que para o Poder Judiciário, a Procuradoria Municipal não pode (ou não poderia) ter plena autonomia para investir e denunciar indiscriminadamente os chefes do Poder Executivo Municipal.

Esse está sendo, sem dúvida, o pior ano dos procuradores de Ferraz que ganharam muita notoriedade entre 2012 e 2016, mas entraram em uma espiral de decadência sem precedentes desde o ano passado e seguem afastados de suas funções, conforme decisão do prefeito Zé Biruta que desde a semana passada não responde aos questionamentos do Oi Diário sobre qual o desfecho do processo dos procuradores.

Isso porque o prazo de 60 dias (tempo estabelecido para a suspensão dos procuradores da prefeitura) já venceu.