Prefeito destaca avanços em Arujá e reforça o compromisso de melhorar a educação, a saúde e gerar mais empregos
O prefeito de Arujá, José Luiz Monteiro, participou nesta segunda-feira do programa “Vai Encarar?” / Foto Glaucia Paulino/Oi Diário
Prefeitura de Mogi das Cruzes

O prefeito de Arujá, José Luiz Monteiro (MDB), participou nesta segunda-feira, 4, do programa “Vai Encarar?”, ao vivo, realizado no estúdio do Jornal Oi. O prefeito, da cidade que tem cerca de 90 mil habitantes e um orçamento (da prefeitura) estimado em R$ 306 milhões para este ano (um dos melhores do Alto Tietê), falou sobre os resultados dos seus primeiros 17 meses de governo e afirmou que seu compromisso (político) maior é com a cidade e com o povo de Arujá e não com o grupo político do ex-prefeito Abel Larini e dos deputados Marcio Alvino e André do Prado (todos do PR) que apoiaram a sua candidatura e eleição em 2016.

Monteiro participou da eleição de 2016 como um ‘não político’ e venceu por uma diferença de pouco mais de quatro mil votos o seu principal concorrente, o advogado Luís Camargo que concorreu pelo PSD e se apresentou como um candidato de oposição ao governo do ex-prefeito Abel Larini – cujo grupo político tem controle político da cidade desde o século passado.

O prefeito que é médico e tem formação socialista não deixou nenhuma pergunta sem resposta e rebateu questionamentos do tipo ‘o senhor ainda não fez nada’ enviados por moradores durante a entrevista que teve uma hora e dez minutos de duração.

José Luiz ressaltou que teve independência para formar o seu secretariado e lembrou que o ex-prefeito Genésio Severino (sem citar o nome) tomou a decisão quando ocupou o cargo de prefeito em Arujá de trazer nomes de fora da cidade para ocupar as secretarias municipais e que essa estratégia teria afetado o trabalho e a popularidade de Genésio. Monteiro observou que manteve secretários (da gestão do ex-prefeito Larini) por conta do conhecimento que tais secretários têm da cidade e dos projetos que são do interesse da população.

Zé Luiz afirma que é um democrata e não um ditador

O prefeito do MDB que criticou a política de preços da Petrobras (que é avalizada pelo presidente Michel Temer que é do MDB) ressaltou que não é obcecado pelo poder e que o fato de ter sido eleito prefeito não mexeu em seu ego. “Tem pessoas que esperavam que o prefeito fosse um ditador, que de soco na mesa, que estale  o chicote. Sou um democrata e falo de igual para igual com todas as pessoas. Isso não quer dizer que não tenho autoridade, que não cobro trabalho e resultados dos secretários e servidores da prefeitura. O grande problema é que existe uma grande burocracia no serviço público e desde o início do governo (janeiro de 2017) tenho lutado muito para que a prefeitura faça um atendimento mais rápido para a cidade e para o povo”, argumentou o prefeito que elogiou o apoio dos vereadores ao seu trabalho.

Na conversa com o jornalista Bras Santos e Dr. Maurimar Chiasso e nas respostas aos internautas, o prefeito de Arujá fez questão de destacar os principais avanços de seu governo (mais investimentos e ampliação dos atendimentos na área da saúde, combate a burocracia para a atração de novas empresas e o esforço pra que a cidade tenha um crescimento sustentável e com respeito ao Meio Ambiente).

Mais saúde, educação e empregos

O prefeito que foi alvo de um bombardeio de críticas (enviadas ao jornal durante a entrevista) garantiu não estar preocupado em fazer média com lideranças políticas ou com moradores que se acostumaram a bajular políticos e a serem tratados com descaso: “Não sei se vou ser candidato à reeleição e não sei se serei reeleito (se for candidato em 2019), o que importa é a minha consciência estar tranquila. Falo com as pessoas nas ruas, converso com a minha família e tenho a convicção de que estamos fazendo o melhor pela e para a cidade”, ressaltou.

José Luiz isentou o seu governo de qualquer tipo de irregularidade na licitação para a compra de uniformes escolares pela Secretaria de Educação: “Já ficou comprovado que a prefeitura estava/está 100% certa (na licitação dos uniformes)”, enfatizou.

No final da entrevista, o prefeito de Arujá salientou que as metas principais do seu mandato é melhorar o atendimento em saúde, tornar a educação pública municipal uma referência na região do Alto Tietê e ampliar/acelerar a geração de empregos aos moradores do município. Confira a íntegra da entrevista no site e no Facebook do Oi Diário.