Pode vir
Em 2018 posso dizer com orgulho que tivemos grandes triunfos com o Fundo Social de Solidariedade de Mogi/Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

O início de ano é sempre um momento propício para refletirmos sobre conquistas e desafios. E, em 2018, posso dizer com orgulho que tivemos grandes triunfos com o Fundo Social de Solidariedade de Mogi das Cruzes.

Priorizamos como nunca nossa meta de ofertar aprendizado e ofícios, em detrimento de uma política assistencialista. É a premissa do “ensinar a pescar”, para que as pessoas possam, a partir de suas próprias capacidades, buscarem novas perspectivas de vida.

Formamos 1.500 alunos nos cursos profissionalizantes gratuitos, o triplo do que tivemos em 2017.

Ganhamos a Escola de Empreendedorismo e Inovação, um espaço moderno, arrojado e totalmente vocacionado para a qualificação da mão de obra.

Ampliamos nossa gama de cursos, com novos módulos, como Gastronomia Clássica, Construção Civil e os projetos Natal Espetacular e Costurando o Futuro.

Fortalecemos nossa rede de apoio a pacientes que lutam contra o câncer, com o banco de perucas da ONG Cabelegria e o projeto Mamas do Amor.

Lançamos o programa Família Solidária, que fechou o ano com mais de 600 voluntários inscritos e dezenas de ações realizadas, inclusive em outros municípios.

Levamos cinco mil crianças ao Circo dos Sonhos e entregamos 30 mil brinquedos a crianças de regiões de vulnerabilidade social. Também ajudamos a aquecer 7.500 famílias mogianas, com as arrecadações provenientes da Campanha do Agasalho.

O ano de 2018 foi, sem dúvidas, inesquecível. Mas tenho fé que 2019 será ainda melhor. Ano novo, pode vir!