Poá começa a cumprir (pela pediatria) a ameaça de fechar o Hospital Guido Guida

0
152

O governo de Poá começa a cumprir (pela parte mais sensível e importante de um estabelecimento médico – a pediatria) com a ameaça de fechar o Hospital Municipal Guido Guida em razão da falta de recursos da prefeitura para manter o estabelecimento de saúde.
A pediatria deixou de atender na última sexta-feira e o vice-prefeito e secretário municipal de Saúde, Marcos Ribeiro da Costa, afirmou que ainda não há definição se a unidade vai ficar aberta em razão do rombo do ISS. “Hoje estamos pedindo ao governador Geraldo Alckmin, outra vez. Já, centenas de vezes, estivemos com ele. Governador, ajude a cidade de Poá, a crise do ISS vai levar um prejuízo muito grande à população poaense. Não tem ainda uma definição do Hospital ficar aberto. Se o governo do Estado não ajudar a cidade de Poá, o [hospital que fica no Jardim] Medina pode se fechar”, afirmou o secretário nesta segunda-feira, 23. Na última semana, 12 dos 16 pediatras que atendiam na unidade foram demitidos. Quem precisou de atendimento nesta segunda recorreu às Unidades Básicas de Saúde (UBS). “A gente vem avisando desde junho de que a dificuldade da cidade de Poá, com a queda da arrecadação, ela ia [provocar] situações como essa do Guido Guida”, reforçou o secretário em entrevista ao G1.

A falta de pediatras é mais uma medida preventiva para reduzir os custos em Poá. A crise começou com a lei federal que alterou a arrecadação do Imposto Sobre Serviços (ISS), o que reduzirá os recursos da cidade em R$ 140 milhões.

Na área da saúde, a previsão é de que a verba caia de R$ 87 milhões para R$ 56 milhões em 2018.

A prefeitura já havia informado que o Hospital poderia ser fechado. A UBS Doutor Cypriano Oswaldo Monaco, do Jardim Nova Poá, ainda não sentiu os efeitos do fim da pediatria no Guido Guida.

Atendimento na região

O secretário municipal de Saúde, Marcos Ribeiro da Costa diz que, além das UBSs, a população também deverá recorrer aos hospitais de outras cidades do Alto Tietê. O secretário deverá apresentar novos esclarecimentos sobre a crise no Hospital Municipal nesta terça-feira.

COMPARTILHAR