O governador do Estado, Márcio França (PSB) deverá fazer nesta quinta-feira, 17, a sua primeira visita oficial a região do Alto Tietê desde que assumiu o comando do Palácio dos Bandeirantes no início de abril. Ele ocupou o posto do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) que deixou o mandato para concorrer à presidência do Brasil.

França que era vice de Alckmin é esperado na cidade de Poá, a partir das 12h30 e uma hora depois visitará a cidade de Suzano. Em Poá ele deverá fazer uma vistoria nas obras (sem fim) do piscinão.

Na cidade de Suzano, Márcio França deverá conversar com lideranças políticas de toda a região na sede da Associação Cultural Suzanense, que fica na avenida Armando Salles de Oliveira, na área central do município. De acordo com informações da Prefeitura e do Condemat (do qual o prefeito suzanense Rodrigo Ashiuchi é o presidente), Márcio França vai assinar convênios e autorizar a realização de obras esperadas/cobradas pelos prefeitos e população do Alto Tietê.

É grande a expectativa sobre quais convênios e obras, o novo governador do Estado irá autorizar à região.

Nesta reportagem especial, o Jornal Oi destaca alguns (os principais) desafios de Márcio França e do governo do Estado em relação as cidades desta região.

Na relação elaborada pela reportagem constam dez novos e velhos desafios que Márcio França deverá encarar de frente caso queira ratificar a confiança das principais lideranças do Alto Tietê e conquistar o respeito dos eleitores. França é pré-candidato ao governo do Estado para a eleição deste ano e tem entre seus principais adversários o ex-prefeito da Capital de SP, João Doria (PSDB) e o presidente da Fiesp, do Sesi e do Senai, Paulo Skaf (MDB).

Tanto Skaf quanto Doria estiveram na região nas últimas semanas. Confira no quadro abaixo a relação de desafios de Márcio nas cidades do Alto Tietê, sendo que a partir desta quinta-feira a reportagem do Oi iniciará uma cobrança sistemática ao novo governador do Estado sobre prazos e cronogramas para que esses e outros projetos (que promovam desenvolvimento econômico e social) sejam executados.

Confira os principais desafios do governador do Estado na região do Alto Tietê

1 – Acelerar o início da construção da alça ao Rodoanel na divisa de Suzano e Poá.
2 – Confirmar ou descartar ajuda do governo de SP ao Hospital Guido Guida em Poá.
3 – Ajustar os efetivos das policias Civil e Militar nas maiores cidades do Alto Tietê.
4 – Atender os pedidos de Arujá e Itaquá na Parceria Público Privada (PPP) do projeto Fazenda Albor.
5 – Apresentar um cronograma viável/confiável à instalação do Corredor Metropolitano entre Ferraz e Arujá.
6 – Definir uma data para o início da realização de exames médicos no Centro de Diagnóstico do novo HC em Suzano.
7 – Esclarecer os problemas e falhas no atendimento do Hospital Santa Marcelina em Itaquá.
8 – Facilitar a liberação de recursos para obras de pavimentação e tapa buracos às cidades da região.
9 – Estabelecer com o governo de Suzano um prazo/cronograma da para início das obras da Fatec.
10 – Anunciar os projetos do seu governo para o Turismo, Esporte e Cultura às cidades da região.

Governo poense prefere evitar a vistoria de França ao ‘buraco sem fundo’ do Piscinão

De acordo com informações da assessoria do governo do prefeito Gian Lopes (PR), o novo governador do Estado, faria uma vistoria no Piscinão da Vila Romana e durante a visita à ‘interminável’ obra de combate às enchentes, realizada pela prefeitura poaense, França deverá autorizar a liberação de recursos para o município nas áreas da Saúde e Infraestrutura. No final da tarde de ontem, entretanto, a governo poaense disse que Márcio França estará em outro local e não mais no Piscinão.

A vistoria (cancelada) na obra do Piscinão seria de grande risco especialmente ao governador, isso porque poucas obras no Alto Tietê são (e estão) tão enroladas quanto está. A obra do piscinão em Poá pode ser considerada como um buraco sem fundo, seja no que se refere ao gasto de dinheiro público (ninguém sabe quanto já foi gasto e nem quanto ainda será preciso para terminar a obra) ou no que refere a falta de transparência do governo municipal em relação aos problemas (especialmente os financeiros) da obra. França deverá visitar, a partir das 12h30, o Teatro Municipal de Poá e não mais o Piscinão.

Homenagem de França à PM suzanense foi aprovada pela população

O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), fez no último domingo uma homenagem à cabo da Polícia Militar Kátia Sastre, que reagiu (no sábado) a um assalto e matou o bandido em frente à escola onde estudam suas duas filhas, em Suzano.

De folga e sem o uniforme, a PM foi ao colégio para participar de um evento de Dia das Mães, quando viu o ladrão aparecer e mostrar a arma para um grupo de pais que estavam com os filhos na entrada da escola. Ao presenciar a cena, ela sacou a sua pistola e disparou no bandido – ele foi atingido no peito e nas pernas. Depois, ela o rendeu no chão, chutando a sua arma para longe. Segundo a Polícia Civil, o homem chegou a ser levado para a Santa Casa de Suzano, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A decisão de França, inicialmente chegou a gerar polêmica, mas foi amplamente apoiada pela sociedade.