O que vai decidir o governo em Mogi: tarifa do ônibus vai para R$ 4,30 ou R$ 4,50?
O valor proposto pela prefeitura foi aprovado pela maioria, mas a direção da entidade alerta que o índice é superior ao aplicado em outras cidades/Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Em votação realizada nessa quinta-feira, 10, no Conselho Municipal de Transportes, a ACMC – Associação Comercial de Mogi das Cruzes votou contra o reajuste da tarifa de ônibus para R$ 4,50 – um aumento de 9,75%.

O valor proposto pela prefeitura foi aprovado pela maioria, mas a direção da entidade alerta que o índice é superior ao aplicado em outras cidades e, além do reflexo direto aos usuários do transporte público, vai gerar um impacto negativo para as empresas. A passagem atual custa R$ 4,10.

“No momento econômico que vivemos é inviável um reajuste com esse percentual”, argumenta o comerciante Roberto Assi, representante da ACMC no Conselho Municipal de Transportes. “Cerca de 40% das passagens são de vale-transporte, portanto, o reflexo desse reajuste será direto nos custos das empresas, as quais ainda enfrentam muitas dificuldades para superar a recente crise e para manter os negócios”, acrescenta o dirigente.

Durante a votação, o representante da ACMC, propôs o reajuste da passagem para R$ 4,30 (4,87%). Esse índice, de acordo com estudos feitos pela entidade, é compatível com a média de aumento aplicada em outras cidades, inclusive a Capital, e fica próximo do aumento aplicado no IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) de Mogi, assim como nos reajustes salariais de algumas categorias de trabalhadores.

“Acredito que nenhum trabalhador terá um reajuste de 10% no salário. Além disso, sempre houve uma paridade no valor da passagem do ônibus de Mogi e São Paulo, o que deixará de acontecer com o aumento em Mogi para R$ 4,50, enquanto em São Paulo a passagem subiu para R$ 4,30”, justifica o diretor da ACMC.

Os levantamentos feitos pela ACMC mostram que em Barueri e Carapicuíba a passagem subiu 3,4%; em Diadema, 5,6%, e, em São Paulo, 7,5%. “O ideal era que não tivesse reajuste, mas já que ele precisa acontecer, que seja inferior mais próximo do adotado por outras cidades”, defende Assi.

“Não questionamos os estudos da Secretaria de Transportes mas, neste momento, o mais justo e coerente é R$ 4,30”, conclui.

O parecer favorável do Conselho Municipal de Transportes para aumento da passagem de ônibus em Mogi das Cruzes para R$ 4,50 será encaminhado ao prefeito Marcus Melo para ser sancionado.