O que Suzano pode esperar do Conselho de Defesa do Meio Ambiente; será mais uma entidade decorativa?
O primeiro importante evento sob responsabilidade do Comdema está previsto para ocorrer na segunda semana de dezembro. Nele haverá o lançamento do processo de elaboração do Plano Municipal da Mata Atlântica/ Foto: Irineu Jr/Secop Suzano
Guararema Mirante Novembro

Em sua primeira reunião após a cerimônia de posse, o Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Comdema) de Suzano elegeu os componentes da diretoria, aprovou o regimento interno e instalou três Câmaras Técnicas.

O encontro foi realizado no Centro Unificado de Serviços (Centrus), na manhã dessa quinta-feira, 8, e contou com a participação de 12 de seus 16 integrantes. Na oportunidade, começaram a ser debatidos também os detalhes do evento que marcará o lançamento do processo de elaboração do Plano Municipal da Mata Atlântica.

O Comdema agora tem como presidente o engenheiro ambiental Alexandre César da Fraga Pinheiro Júnior, representante do Instituto Ecodan, o qual também preside. O vice é o arquiteto Roberto Saito, presidente da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Suzano (AEAAS).

Já para a função de secretária do conselho foi escolhida Solange Wuo, diretora de Fiscalização e Controle Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente de Suzano. O mandato nos cargos da diretoria terá duração de dois anos.

Logo em seguida houve a leitura da proposta de regimento interno, ocasião em que foram feitas mudanças e inclusões até que o documento pudesse ser votado e aprovado. O dia da semana em que ocorrerão as reuniões ordinárias bimestrais do Comdema será definido no próximo encontro, já marcado para 27 de novembro (terça-feira). O grupo terá a liberdade, porém, de agendar e realizar reuniões extraordinárias.

Também foram instaladas as Câmaras Técnicas que cuidarão de assuntos específicos: Bem-Estar Animal, Licenciamento e Fiscalização Ambiental e Educação Ambiental. Cada uma terá um coordenador e um relator e poderá, se necessário, convidar pessoas de fora para participar das discussões, assim como agendar encontros em dias e horários diferentes dos do conselho.

Mata Atlântica

O primeiro importante evento sob responsabilidade do Comdema está previsto para ocorrer na segunda semana de dezembro. Nele haverá o lançamento do processo de elaboração do Plano Municipal da Mata Atlântica. A ideia é que este trabalho comece em 2019 e conte com a participação da Associação Nacional dos Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma), da SOS Mata Atlântica, da Fundação Florestal e do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (ONU Meio Ambiente).

“Também serão encaminhadas para análise do conselho, em breve, as minutas da revisão do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos e do Plano Municipal de Saneamento. São temas de fundamental importância para consolidação da política ambiental em Suzano”, explicou Solange Wuo.

Além do Instituto Ecodan e da AEAAS, as outras entidades da sociedade civil que têm representantes no Comdema são Associação dos Corretores de Imóveis de Suzano (Acoris), Frente Popular de Ação Social e Moradia, Aldeia Lobo Velho, Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Organização Não Governamental (ONG) Projeto Adote Suzano.

Por parte do Poder Público há integrantes das Secretarias Municipais de Meio Ambiente, de Saúde, de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego, de Planejamento Urbano e Habitação e de Educação, da Guarda Civil Municipal (GCM), da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP).