Jovem morre após levar cotovelada do namorado em Mogi das Cruzes
Jaqueline Aparecida Lopes Moraes foi agredida durante uma discussão no meio de uma rua e caiu no chão; suspeito fugiu /Foto: acervo pessoal
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Uma jovem morreu após ter sido agredida com uma cotovelada pelo namorado no meio de uma rua em Mogi das Cruzes, na madrugada de sexta-feira, 11. Apesar de a barbárie ter ocorrido na semana passada, o crime segue com forte repercussão (negativa para Mogi) e mereceu reportagens dos grandes jornais, portais e revistas da Capital.

Segundo familiares e vizinhos da vítima, o homem deu o golpe em Jaqueline Aparecida Lopes Moraes, de 19 anos, durante uma discussão. Ela caiu no chão, bateu a cabeça e foi socorrida. Ele fugiu de carro.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo, o caso aconteceu por volta das 00h15. A Polícia Militar foi acionada, mas, quando chegou à avenida Peru, no bairro de Jundiapeba, Jaqueline já havia sido levada a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) da região. A vítima teve traumatismo craniano, não resistiu à gravidade da lesão e morreu.

Até o fim da tarde dessa segunda-feira, 14, o suspeito continuava foragido. Em um áudio atribuído a ele que circula nas redes sociais, o agressor admitiu que deu um “pancadão” na vítima e afirmou não rezar “para nada”.  “Você viu como é que eu estava, alteradão, acabei fazendo besteira, entendeu? Dei logo um ‘pancadão’ na Jaque. Ela caiu desmaiada lá, deixei ela lá no meio da rua e vim embora”, disse. Não adiante ser conivente. Você sabe que eu sou louco, não rezo para nada”.  O caso foi registrado como homicídio simples no 2º Distrito Policial de Mogi das Cruzes (Brás Cubas).

Essa não é a primeira e nem a segunda vez que a cidade de Mogi ganha destaque negativo na grande imprensa por conta de atos de grande violência e crueldade praticados por homens contra mulheres mogianas. O que Mogi tem contra as mulheres?