Jovem morre após levar cotovelada do namorado em Mogi das Cruzes
Jaqueline Aparecida Lopes Moraes foi agredida durante uma discussão no meio de uma rua e caiu no chão; suspeito fugiu /Foto: acervo pessoal
Prefeitura de Suzano

Uma jovem morreu após ter sido agredida com uma cotovelada pelo namorado no meio de uma rua em Mogi das Cruzes, na madrugada de sexta-feira, 11. Apesar de a barbárie ter ocorrido na semana passada, o crime segue com forte repercussão (negativa para Mogi) e mereceu reportagens dos grandes jornais, portais e revistas da Capital.

Segundo familiares e vizinhos da vítima, o homem deu o golpe em Jaqueline Aparecida Lopes Moraes, de 19 anos, durante uma discussão. Ela caiu no chão, bateu a cabeça e foi socorrida. Ele fugiu de carro.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo, o caso aconteceu por volta das 00h15. A Polícia Militar foi acionada, mas, quando chegou à avenida Peru, no bairro de Jundiapeba, Jaqueline já havia sido levada a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) da região. A vítima teve traumatismo craniano, não resistiu à gravidade da lesão e morreu.

Até o fim da tarde dessa segunda-feira, 14, o suspeito continuava foragido. Em um áudio atribuído a ele que circula nas redes sociais, o agressor admitiu que deu um “pancadão” na vítima e afirmou não rezar “para nada”.  “Você viu como é que eu estava, alteradão, acabei fazendo besteira, entendeu? Dei logo um ‘pancadão’ na Jaque. Ela caiu desmaiada lá, deixei ela lá no meio da rua e vim embora”, disse. Não adiante ser conivente. Você sabe que eu sou louco, não rezo para nada”.  O caso foi registrado como homicídio simples no 2º Distrito Policial de Mogi das Cruzes (Brás Cubas).

Essa não é a primeira e nem a segunda vez que a cidade de Mogi ganha destaque negativo na grande imprensa por conta de atos de grande violência e crueldade praticados por homens contra mulheres mogianas. O que Mogi tem contra as mulheres?