O ‘ministro’ e a abominável estratégia de diminuir os outros
Como Bolsonaro escolhe um ministro reacionário que não conhece Chico Mendes e tenta desqualificar Chico que antes de ser executado ‘por pessoas do agro’ foi reconhecido pela ONU?/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Vamos combinar o seguinte: o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, poderá até ser tornar o maior líder mundial, mas quem é ele hoje?

Na real? Trata-se de um advogado com ‘jeito de playboy’ que tornou-se conhecido por ser acusado/condenado por improbidade administrativa quando participou do governo Alckmin em SP.

Em resumo: é quase um nada. E qual a estratégia do ministro de Bolsonaro para tentar deixar de ser insignificante? Salles afirmou no Roda Viva que o líder seringueiro Chico Mendes, reconhecido mundialmente por defender a floresta Amazônica, é “irrelevante”.

“Eu não conheço o Chico Mendes, escuto histórias de todos os lados. Das pessoas do agro que dizem que ele não era isso que contam. Dizem que usava os seringueiros pra se beneficiar”, afirmou.

Como Bolsonaro escolhe um ministro reacionário que não conhece Chico Mendes e tenta desqualificar Chico que antes de ser executado ‘por pessoas do agro’ foi reconhecido pela ONU por sua atuação em defesa do meio ambiente? Esse é mais um ministro que dá medo e asco também.