“O Ciclo da Violência Doméstica Contra a Mulher” e “Criança e Consumo” são temas do Promotoras Legais

0
187

O Serviço de Ação Social e Projetos Especiais (Saspe) de Suzano, por meio do curso Promotoras Legais Populares, idealizado pela Organização Não-Governamental (ONG) Elas por Elas, abrigou na noite de terça-feira (5 de setembro) as palestras “O Ciclo da Violência Doméstica Contra a Mulher” e “Criança e Consumo”. Oferecida de graça desde março deste ano, a capacitação tem a premissa de orientar as suzanenses sobre cidadania e os conceitos de igualdade de gênero e de respeito, ao passo em que enaltece os valores humano, social, político e econômico do público feminino.

O encontro desta semana foi dividido em dois momentos. De início, o jornalista Paulo Pavione, autor do livro “Até que a Morte Nos Separe”, palestrou sobre “O Ciclo da Violência Doméstica Contra a Mulher”, que, segundo o convidado, abarca três fases: a criação de tensão, a violência física, e o que ele chama de “fase romântica”:

“Na oportunidade, falei sobre o livro ‘Até que a Morte Nos Separe’ e, com base no depoimento das cinco mulheres que dão vida à obra, expliquei, de forma detalhada, sobre cada ciclo da violência doméstica. Também falei sobre a luta pela igualdade de gênero através dos tempos e como a agressão doméstica pode ser identificada num lar”.

Já no segundo período do curso Promotoras Legais, o Instituto Alana – organização da sociedade civil sem fins lucrativos que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância – foi representado pela advogada Lívia Cattaruzzi Gerasimczuk. Na ocasião, a profissional explanou sobre “Criança e Consumo”:

“Debatemos sobre a Publicidade dirigida às crianças, assim como apontei caminhos que minimizam e previnem prejuízos decorrentes da comunicação mercadológica”, observou Lívia.

         Próxima aula

A próxima aula do Promotoras Legais Populares acontece em 12 de setembro (terça-feira) e será organizada, também, em duas fases. O primeiro tempo terá à frente a presidente da Comissão de Mulheres Advogadas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – subseção Suzano, a advogada Patrícia Braga. A profissional vai destacar, na aula, a trajetória da farmacêutica bioquímica Maria da Penha Maia Fernandes, que deu nome à lei 11.340/2006, popularmente conhecida como Lei Maria da Penha, e que prevê sanções a agressores de mulheres no Brasil.

Já no segundo momento da capacitação, uma psicóloga da Defensoria Pública de Itaquaquecetuba-SP vai falar sobre a lei  11.340/2006 e quanto à funcionalidade de medidas protetivas.

O Promotoras Legais é ministrado semanalmente, todas as terças-feiras, entre 18h30 e 21 horas, pela ONG Elas por Elas, em parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – subseção Suzano. Com apoio da prefeitura, por meio do Fundo Social e do Saspe, a capacitação será dada até novembro de 2017.

Siga: Oi Suzano

COMPARTILHAR