Nossa caminhada
À Apae, parceira de longa data, meu muito obrigada pela acolhida tão calorosa. O enorme respeito que já tinha pela entidade conseguiu ficar ainda maior após essa experiência/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Na semana passada, tive a honra de conhecer a extensão de um belíssimo projeto desenvolvido em Mogi das Cruzes.

Ao lado de minha equipe, visitei o núcleo rural da Apae e me encantei com o que testemunhei.

Além de um espaço reconfortante, em que respiramos natureza o tempo todo, o núcleo desenvolve um trabalho admirável com um grupo de aproximadamente 30 pessoas, desde jovens até idosos.

É um programa de convivência e fortalecimento de vínculos, em que princípios de união, cooperação e superação são estimulados a todo instante.

Isso com base na capacidade e comprometimento de todos que ali trabalham e também fazendo uso de técnicas não muito convencionais, mas eficientes na melhora da qualidade de vida de pessoas com deficiência, como a equoterapia.

Pude falar um pouco sobre a minha missão diária, que é garantir que o Fundo Social de Solidariedade siga cumprindo seu papel de prestar auxílio aos que mais necessitam, de fornecer ferramentas para que as pessoas tenham novas perspectivas de vida e de continuar à disposição de cidadãos e instituições do bem.

À Apae, parceira de longa data, meu muito obrigada pela acolhida tão calorosa. O enorme respeito que já tinha pela entidade conseguiu ficar ainda maior após essa experiência. Que venham novas visitas e novas inspirações. É isso que enriquece e dá sentido para nossa caminhada.