Não tenha medo, isso é democracia
O ambiente de guerra e não de debate lúcido entre adversários tem sido alimentado por teorias da conspiração, mentiras e fakenews/ Foto: Divulgação

Confesso a você que estava bastante angustiado em relação às eleições deste ano. Eu sou um otimista, mas o clima bélico tem sido tóxico. O ambiente de guerra e não de debate lúcido entre adversários tem sido alimentado por teorias da conspiração, mentiras e fakenews.

Contudo, um artigo que li nessa quarta-feira, 19, na Folha de São Paulo acalentou meu coração. Fernando Schüler mostrou que esse clima de fim do mundo, que acusa de antidemocrática a vitória do candidato A ou B, é o que realmente é danoso à democracia.

Achar que alguém irá ser um “demônio autoritário” é uma inocência própria da nossa democracia adolescente. As instituições são muito maiores do que qualquer personalidade.

Nos últimos anos tivemos grandes ganhos institucionais que mudaram completamente a vida do país. Obvio que todo processo de amadurecimento é cheio de idas e vindas, ganhos e perdas.

Já disse que sou otimista, portanto acredito que estamos com o saldo positivo. Outra coisa que acalma é vermos que o mundo anda bem parecido conosco, as dificuldades não são só nossas.

O patamar democrático brasileiro atual é muito diferente em relação aos momentos que antecederam as grandes rupturas democráticas que já tivemos: 1930 e 1964.

As ameaças autoritárias que temos no ambiente mundial são muito menos perigosas do que aqueles anos. Maduro e Erdogan são problemas geopolíticos muito menores do que foi o Nazi-fascismo e a Guerra Fria.

Portanto, não devemos temer o futuro. O que nos resta é a vida democrática: um dia após o outro de fortalecimento lento, gradual e contínuo das instituições: eleições livres. Imprensa independente, ministério público, política federal, Supremo, Congresso, etc.

Não há revoluções que durem mais do que aquelas que acontecem sem serem percebidas. É assim que a Nova República vai amadurecendo. E a nossa democracia floresce aos trancos e barrancos, mas floresce.