Na última sessão antes do recesso, vereadores aprovam LDO em duas discussões e votações
O vereador Mauro Araújo falou da necessidade de novos investimentos na cidade/ Foto: Glaucia Paulino/ Oi Diário
Guararema Mirante Novembro

Nessa quarta-feira, 11, a Câmara Municipal de Mogi das Cruzes aprovou em duas discussões e votações o Projeto de Lei 36/2018, de autoria da prefeitura, que estabelece a Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO – para o exercício de 2019.

Após fazer a primeira votação e discussão do Projeto em sessão ordinária, o presidente do Legislativo, Pedro Komura (PSDB) convocou em seguida uma sessão extraordinária para realizar a segunda discussão e votação da Matéria.

O Projeto foi aprovado com duas emendas modificativas de autoria da Comissão de Finanças e Orçamento do Legislativo. Apesar das críticas, os vereadores votaram favoráveis ao projeto nas duas votações.

Lei de Diretrizes de 2019 prevê mais investimentos em saneamento básico e mobilidade urbana

O vereador Mauro Araújo (MDB) falou da necessidade de novos investimentos no município. “Precisamos, junto com o prefeito Marcus Melo, pensar nos próximos passos, para que não fiquemos somente administrando o legado ruim de uma crise econômica”, ressaltou. Já o vereador Iduigues Martins criticou a distribuição do dinheiro público. “Não tem uma política de moradia para a cidade porque não há estrutura de uma Secretaria.

Também existem outras áreas que estão desguarnecidas, como o centro de apoio a crianças e adolescente, por exemplo”. As principais diretrizes da LDO 2019 são: a Mobilidade Urbana e Saneamento Básico; austeridade na gestão dos recursos públicos; modernização nas ações governamentais; observância ao princípio do Equilíbrio Orçamentário. A Lei de Diretrizes Orçamentárias compreende as metas e prioridades da Administração, incluindo as Despesas da Capital para o exercício seguinte, e orienta a elaboração da Lei Orçamentária Anual, detalhando as estratégias que o governo municipal adotará na aplicação dos recursos para implementá-las.