‘Muita fumaça e pouco fogo?’ Caderno Econômico do Alto Tietê tem o objetivo de atrair novos investimentos às cidades da região
Esse trabalho foi feito por todas as cidades com o objetivo de fomentar a economia e mostrar o crescimento regional/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Suzano Refis

O presidente do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) e prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, ao lado do governador do Estado de São Paulo, Márcio França, lançou na manhã desta terça-feira, 26, o Caderno Econômico Alto Tietê, no Centro de Educação Adamastor, em Guarulhos. A iniciativa faz parte de um conjunto de ações que visa promover o desenvolvimento integrado e o fortalecimento político da região, além de potencializar e atrair novos investimentos para 11 municípios, que juntos respondem por 5,11% do PIB (Produto Interno Bruto) do Estado de São Paulo, cerca de R$ 100 bilhões/ano, sediam 100 mil empresas e são responsáveis pela geração de 600 mil empregos.

O evento contou com a presença dos prefeitos Gustavo Henric Costa (Guarulhos), José Luiz Monteiro (Arujá), Adriano Leite (Guararema), Mamoru Nakashima (Itaquaquecetuba), Marcus Melo (Mogi das Cruzes), Fábia Porto (Santa Isabel) e Vanderlon Oliveira Gomes (Salesópolis). Os deputados estaduais André do Prado, Gileno Gomes e Luiz Gondim, bem como secretários, vereadores e representantes da sociedade civil organizada e da Investe SP também marcaram presença.

Desenvolvido com a proposta de apresentar o potencial da região para os negócios e atrair investimentos, o Caderno Econômico Alto Tietê traz os principais indicadores da região nos últimos anos, complementados pelo primeiro trimestre de 2018. Foram coletados os dados da balança comercial desde o ano 2000, até o primeiro trimestre deste ano, divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, com ênfase para os anos de 2016/17 e para os dados parciais de 2018.

Para melhor fundamentar as análises da publicação, foram considerados também os dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do ano de 2016 e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) de 2017 e do primeiro quadrimestre de 2018, divulgados pelo Ministério do Trabalho. Complementa ainda essa primeira edição um panorama da evolução das estimativas do Produto Interno Bruto Municipal entre os anos 2010 e 2015, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo Ashiuchi, com 11 municípios, mais de três milhões de habitantes, economia diversificada, significativa reserva de recursos naturais e inserida na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) – o maior polo de riqueza nacional, o Alto Tietê é hoje uma das regiões mais importantes do Estado e com potencial para crescer e se desenvolver.

“Hoje é um dia importante para a região, pois estamos lançando a primeira edição do Caderno Econômico, material que divulga o crescimento da região, a integração de economias tão diversificadas, e a potencialização do desenvolvimento de cada um dos municípios. Neste evento, apresentamos dados, como o PIB (Produto Interno Bruto), que é estimado em cerca de cem bilhões de reais, o que representa 5,11% do PIB do Estado, além de termos gerado mais de 600 mil empregos formais. O Alto Tietê tem a pretensão de ser um grande atrativo para novas empresas e novos comércios. Esse trabalho foi feito por todas as cidades com o objetivo de fomentar a economia e mostrar o crescimento regional”, explicou o presidente do Condemat, ao ressaltar que a publicação faz parte de um conjunto de ações que inclui a padronização das alíquotas do ISS feita no ano passado e os estudos para a elaboração de uma Lei Regional de Incentivos.

Para o prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa, o Guti, o novo caderno será a “espinha dorsal” dos trabalhos de fomento à economia no Alto Tietê. “Todas as cidades trabalharam em conjunto para que possamos lançar hoje uma publicação com dados, informações e atrativos de toda a região. Estamos crescendo e pretendemos expandir muito mais. Inclusive, adianto que este primeiro semestre de 2018 está sensivelmente melhor em comparação com ano passado. Os dados levam em conta os índices de empregabilidade, de novas empresas e outros fatores que são essenciais para economia regional. Isso com certeza é algo a se comemorar”, disse.

Em seu discurso, o governador Márcio França reiterou os trabalhos do Estado de São Paulo e parabenizou os prefeitos pelo lançamento. “A Investe SP é uma agência de fomento do Governo do Estado que percorre as cidades fazendo seminários para que possam comunicar pessoas de fora de São Paulo sobre quais são as principais atrações para investimento e o que está acontecendo em determinadas regiões.  Fiquei feliz em ver que num encontro desse, vocês (prefeitos) se organizaram e realizaram o lançamento deste caderno tão importante e, principalmente, com muitas informações, que serão disponibilizadas e divulgadas para investidores e para a população”, afirmou.

Palestra

Após as explanações dos prefeitos e do governador, os presentes conheceram algumas linhas de fomento disponibilizadas pela Investe São Paulo, apresentadas pela gerente geral de Projetos de Investimentos, Ana Beatriz Fernandes, e puderam assistir a uma palestra ministrada por Gesner Oliveira, eleito Economista do Ano 2016, professor da FGV e colunista dos programas Primeira Hora e Bastidores do Poder da Rádio Bandeirantes. Na oportunidade, ele falou sobre “Cenários para a economia brasileira e impactos sobre o Estado de São Paulo”.

“Destaco três temas, começando pelo que chamo de círculo vicioso antirreforma, no qual a economia precisa de reforma, mas a população rejeita e quanto mais ela rejeita, pior a economia; o segundo ponto como anda a economia que teve a maior recessão da história, vinha numa modesta recuperação, tomou uma trombada em maio, e agora aparentemente segue numa recuperação, mas muito aquém do que precisa para atenuar a situação de quase 14 milhões de pessoas desempregadas; e por último, um país onde falta tudo, a infraestrutura está toda engargalada e a gente precisa criar condições para que isso mude. Percebo com grande satisfação que os gestores dos municípios do Alto Tietê e lideranças empresariais, estudam o assunto, publicam esse caderno e oferecem elementos básicos para discussão e dá um passo importante para a sociedade encontrar soluções”, concluiu Gesner Oliveira.