Mogi, Santa Isabel e Arujá decretam estado de emergência por causa da greve dos caminhoneiros
Mogi, Santa Isabel e Arujá decretam estado de emergência / Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

O prefeito de Mogi das Cruzes, Marcus Melo (PSDB) decretou na sexta-feira o estado de emergência e determinou a requisição de combustíveis dos postos do município para abastecimento de veículos oficiais da prefeitura – caso isso seja necessário para não interromper os serviços públicos essenciais. Nesta segunda-feira, 28, outras cidades da região também decidiram por decretar o estado de emergência.

Em Mogi, os estoques de combustível dos veículos oficiais estão acabando, o que é mais preocupante no caso de veículos de atendimento essencial, como ambulâncias, distribuição de medicamentos nas unidades de saúde, transporte escolar e viaturas da Guarda Municipal e do Corpo de Bombeiros, entre outros.

O documento autoriza os secretários de Segurança e de Serviços Urbanos a identificar e requisitar o estoque de combustíveis de postos do município, e também dá permissão à Guarda Municipal para “utilizar os meios que forem estritamente necessários ao cumprimento da requisição”.

Medidas de contingência

Antes da decretação do estado de emergência, a prefeitura já havia adotado medidas de contingenciamento para reduzir o consumo dos veículos e evitar a interrupção dos serviços essenciais.

Saúde

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) informa que diante da falta de combustível, os chamados serão regulados pela equipe médica da regulação, com prioridade às ocorrências “vermelhas”, como acidentes de trânsito, atropelamentos, paradas cardiorrespiratórias, ferimentos por arma de fogo ou arma branca, por exemplo.

Transporte público

Desde a manhã de quinta-feira, foi adotado um plano emergencial com a redução da frota. Para este fim de semana, haverá redução de 20% do número de ônibus no sábado, 26, em relação aos sábados normais. No domingo, será mantida a frota utilizada normalmente neste dia.

Semae

O Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) recomenda economia de água, já que não houve entrega de produtos químicos para o tratamento, e o estoque começa a ficar baixo, sendo suficiente apenas para alguns dias. A autarquia espera que a normalização da entrega ocorra na próxima semana, para que não haja necessidade de interromper a distribuição.

Há ainda uma recomendação específica aos moradores do Parque São Martinho e Jardim Nove de Julho, bairros que recebem serviço de caminhão-pipa para complemento do abastecimento público.

Desde quinta-feira a autarquia não recebeu asfalto, material utilizado na recomposição do pavimento após as manutenções e ligações de água e esgoto.

A Chácara Guanabara, abastecida por caminhão-pipa, também pode ter o serviço reduzido.

Alimentação escolar

O Departamento de Alimentação Escolar está otimizando as entregas e o abastecimento das escolas está assegurado até a próxima semana. Houve problema com o fornecimento de maçãs e a fruta foi substituída no cardápio.

Serviços de Manutenção

Assim como o Semae, a Secretaria de Serviços Urbanos também não recebeu massa asfáltica para o trabalho de tapa-buraco – que terá de ser suspenso pelos próximos dias. A mesma situação se aplica aos demais serviços de manutenção, que terão de ser reduzidos.

Coleta de lixo

Em serviços como a coleta de lixo, o abastecimento dos caminhões é feito pela empresa contratada pela prefeitura para executar os serviços de coleta e destinação do lixo. A companhia já expressou preocupação com a situação, mas assegurou que está adotando as medidas possíveis para que o serviço não seja comprometido.

Veículos

O abastecimento e a utilização dos veículos administrativos estão sendo executados apenas em situações excepcionais. Guarda Municipal e Corpo de Bombeiros continuam sendo abastecidos normalmente, por serem serviços prioritários.

Iluminação Pública

Por problemas de abastecimento dos caminhões da empresa contratada, a capacidade de atendimento fica reduzida, ampliando os prazos para manutenção.

Guarda Municipal

Equipes seguem trabalhando normalmente com as viaturas.

Acompanhamento da situação

A prefeitura segue acompanhando as paralisações e seus efeitos. Se novas medidas forem necessárias, a população será informada por meio de nossos canais oficiais. Por fim, a administração municipal pede desculpas por eventuais transtornos e conta com o apoio e a compreensão de todos.

Arujá decreta emergência nesta segunda

O prefeito de Arujá, José Luiz Monteiro (PMDB) decretou nesta segunda-feira, 28, estado de emergência. A medida foi tomada após reunião com o secretariado, em virtude das consequências da paralisação dos caminhoneiros que protestam contra a alta do preço do diesel.

Diante das circunstâncias, desde a última quinta-feira a prefeitura está racionando o combustível utilizado para abastecer a frota municipal. A prioridade é garantir o abastecimento dos veículos da Secretaria Municipal de Saúde, em especial dos que prestam atendimentos de urgência e emergência.

O Decreto 6.944 também requisita o estoque combustível de todos postos particulares de Arujá, caso a medida seja necessária para a prestação de serviços públicos. Desta forma, a comercialização nestes estabelecimentos está proibida enquanto o documento estiver vigente.

Além do estado de emergência, outras medidas foram tomadas pela administração nesta segunda-feira.

Saúde

As coletas de exames laboratoriais (sangue, urina, fezes e papanicolau) estão suspensas por tempo indeterminado. Há suspensão também no transporte sanitário de pacientes que fazem tratamento em cidades distantes em que não há garantia de reabastecimento para o retorno a Arujá. Os demais serviços seguem sendo realizados normalmente.

Educação

Cautelarmente, a Secretaria de Educação decidiu suspender as aulas nos dias 29 e 30 de maio (terça e quarta-feira). A decisão leva em conta as dificuldades no transporte escolar, o número reduzido de alunos registrado nas unidades nesta segunda-feira e os iminentes problemas de acesso dos servidores aos locais de trabalho.

Festa suspensa

Outra medida já anunciada pela administração municipal é a suspensão da programação do aniversário de Arujá, que teria início na próxima quarta-feira, 30.

As atividades tanto na Praça Benedito Ferreira Franco (Coreto) quanto no Centro Residencial estão suspensas até que haja alguma previsão de normalização dos serviços.

Além de permitir que neste momento a gestão priorize a manutenção dos serviços de Saúde, a suspensão das festividades ocorre em função de dificuldades relacionadas a questões de logística, infraestrutura e segurança.

Limpeza pública

A operação normal do serviço de coleta de lixo está garantida até esta terça-feira, 29, quando será readequada. Já a limpeza pública sofrerá redução já a partir desta terça.

Transporte coletivo

A concessionária responsável pelas linhas municipais de transporte coletivo informa que a frota continua atuando com redução de 15% nos horários antes das 7 e após às 15 horas, considerados de pico.

Nas demais horas do dia o serviço é feito de acordo com a demanda de cada linha, sendo que algumas têm operado com o horário de sábado.

Informações

Todas demais as informações a respeito do impacto da greve nos serviços municipais podem ser obtidas no site oficial da prefeitura – www.aruja.sp.gov.br e na página da administração no Facebook.​

Santa Isabel não revela mudanças nos serviços

Desde a última semana uma crise ocasionada pela falta de combustível assola o Brasil, imediatamente o governo municipal tomou providências para controlar a situação e alguns serviços da municipalidade foram reduzidos ou suspensos temporariamente.

Como a situação tem se agravado e continua sem previsão de normalização, a prefeita de Santa Isabel, Fábia Porto, se reuniu com todos os secretários municipais e tomou novas medidas e decretou situação de emergência na cidade.