Mogi reabre cadastramento para profissionais da arte, cultura e turismo
Para o prefeito, Mogi está dando um exemplo de economia circular, que é reaproveitar, reutilizar e reciclar/ Foto: Ney Sarmento/PMMC

A Secretaria Municipal de Cultura reabriu nessa sexta-feira, 13, o sistema de cadastramento de artistas e profissionais do segmento artístico, por meio de formulário online. Uma das novidades deste processo é que, a partir de agora, profissionais ligados à área de turismo também podem se cadastrar, tendo em vista que agora a Cultura é gestora da Coordenadoria Municipal de Turismo.

Além disso, o cadastro ficará aberto de forma permanente. Nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro a Secretaria de Cultura fará o credenciamento, que consiste na avaliação de todos os cadastrados, para a formação de banco de dados e também da relação de profissionais habilitados a serem contratados pelo município para eventos públicos promovidos ou apoiados pela Cultura e Turismo.

Outra novidade é que foi feita a atualização das planilhas de pagamento dos artistas a serem contratados, a partir da pesquisa dos valores atuais praticados no mercado. Essa atualização, contudo, só vai valer para novos contratos.

Aqueles que, por ventura, já tenham sido convocados neste ano para participar de algum evento da municipalidade continuarão recebendo com base nas planilhas que estavam em vigor à época de suas respectivas convocações.

Agora também passa a estar especificado na planilha de valores o quanto será pago aos profissionais de acordo com o segmento e as características da ação cultural a ser realizada. Existe, por exemplo, uma definição quanto ao valor para projetos de artes plásticas, com a diferenciação entre mostras individuais e coletivas. Já no segmento de oficinas de arte e cultura, o valor a ser pago ao oficineiro estará condicionado à quantidade de horas trabalhadas. A cada 16 horas trabalhadas serão concedidas ajuda de custo, destinada a itens como transporte e alimentação.

Os guias de turismo que se cadastrarem também terão direito a valores distintos, dependendo de fatores como possuir ou não veículo próprio, trabalhar ou não em outro idioma, coordenar ou não grupos e também conforme a natureza do trabalho a ser desempenhado. Há, por exemplo, uma distinção entre guias e monitores de turismo, conforme valores definidos pelo sindicato que representa a categoria.

Mais uma atividade que passa a ser contemplada pelo cadastro é de apoio e/ou orientação técnica nas áreas de arte, cultura e informação. O secretário municipal de Cultura, Mateus Sartori, explica que isso vai permitir à Secretaria contratar, por exemplo, um profissional da área da dança para orientar um eventual grupo do segmento que se forme espontaneamente em alguma comunidade, auxiliando-o com a parte de coreografia, figurino, espetáculo. “Dessa forma poderemos contratar uma capacitação in loco para produções culturais locais”, destaca Sartori.

O edital também vai permitir a contratação de mão-de-obra para apoio a eventos, mostras, festivais e atividades diversas. Assim, a partir dele, será possível convocar jurados, assistentes de produção, produtores executivos, operadores de luz, som e audiovisual, tudo com valores já pré-definidos, de acordo com as horas e dias trabalhados.

O cadastro passa a incorporar ainda programas de fomento ao jovem empreendedor. Para 2019, a Cultura e o Turismo darão início a um curso de formação de jovens monitores de turismo, que futuramente poderão ser convocados pela Prefeitura, para desenvolverem trabalhos de suporte em museus e atrativos turísticos, mediante a concessão de bolsa-incentivo. Este é o programa chamado Jovem Monitor.

Outro programa é o Jovem Multiplicador, que visa selecionar jovens para se encarregarem da disseminação em suas escolas e comunidades de informações de utilidade pública, como, por exemplo, uma campanha de vacinação que esteja em andamento.

O terceiro programa da juventude, também contemplado no edital de cadastramento de profissionais, é o Jovem Empreendedor, que vai permitir a contratação de jovens para assessorar eventos da Cultura e auxiliar na cadeira cultural local, executando serviços como recepcionar público, ajudar na montagem de espetáculos, distribuir ingressos.

“Esses três projetos visam ajudar os jovens a formarem um currículo, para que eles tenham uma bagagem de serviços prestados para a Prefeitura no momento em que tentarem ingressar no mercado de trabalho. Então além da questão da aproximação entre poder público e juventude, há também esse viés de construir uma experiência, que poderá ser um diferencial para ele em seu futuro profissional”, concluiu o secretário.