Mogi/Helbor oficializa saídas de Jimmy, Larry, Wesley e Carioca
O ala Jimmy Dreher participou de seis finais com a camisa mogiana/ Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor

A diretoria do Mogi das Cruzes/Helbor comunicou a não renovação de contrato de quatro jogadores. Os armadores Larry Taylor e Patrick Carioca, o ala Jimmy Dreher e o ala-pivô Wesley Sena não farão parte da equipe para a próxima temporada. O anúncio foi feito pelo secretário de Esporte e Lazer de Mogi das Cruzes, Nilo Guimarães.

“A gente não renovou com alguns jogadores. Tentamos segurar o Jimmy e o Larry, mas não conseguimos. Ir para uma final do NBB é muito gratificante, mas tem um revés que contribui contra que é ficar fora do mercado. As duas equipes, tanto Paulistano como Mogi das Cruzes, ficaram um pouco prejudicadas com isso. O Paulistano foi bastante assediado e o nosso time também. Não fico triste ou chateado. Gostaríamos de contar com os dois [Larry e Jimmy]. O Larry fez uma campanha espetacular em três anos conosco. O Jimmy nem se fala. Vem crescendo a cada ano. A gente fica triste, mas ao mesmo tempo feliz porque eles fizeram o Mogi das Cruzes crescer, assim como os outros também, e tiveram uma oportunidade muito boa para desenvolver a sua vida esportiva. Gostaríamos de poder contar mais alguns anos com eles, mas não poderemos”, adverte o secretário.

Segundo Nilo, os demais jogadores do elenco ainda serão chamados para conversar. Sobre reforços e manutenção de atletas, o processo depende da renovação do técnico Guerrinha, que terá autonomia para decidir com quais deseja trabalhar na próxima temporada. O secretário acredita que até segunda-feira a definição do treinador seja resolvida.

Peças importantes

O armador Larry Taylor chegou ao Mogi das Cruzes/Helbor em 2015 e ajudou o time a chegar a cinco finais, conquistando os títulos Paulista e Sul-Americano, além de três vice-campeonatos, Paulista, Liga das Américas e NBB. “Jogar nessa cidade é uma coisa maravilhosa. Um sentimento que não se encontra em qualquer cidade. Poucas cidades têm essa emoção e ligação pelo basquete que Mogi das Cruzes tem. Jogando esses três anos aqui foi uma experiência inesquecível para mim. A gente fez três temporadas muito boas, vencemos muitos jogos, fomos campeões e chegamos longe em outros. Foi um experiência que não trocaria por nada. A torcida é fantástica, apaixonada, que torce todos os jogos com o coração até o fim do jogo. É maravilhoso ver isso. Quero agradecer a todos aqui de Mogi que fizeram parte da minha vida nesses três anos. Eu senti que formamos uma família aqui. As pessoas falam de basquete por todos os lugares. Vi muitas pessoas vestindo a minha camisa é uma coisa que deixa meus olhos com lágrimas sempre. É muito bom ver isso. Fico muito feliz como a cidade me abraçou com amor e carinho. É uma coisa muito difícil sair daqui. Sou muito grato por todos, diretoria, jogadores, comissão técnica por tudo que conquistamos juntos e esse time sempre terá um espaço no meu coração. Eu amo essa cidade”, destaca Larry Taylor, que retorna para Bauru.

O ala Jimmy Dreher veio um ano antes e cresceu junto com a equipe. O camisa 18 participou de seis finais (2 Paulistas/2 Sul-Americanas/Liga das Américas e NBB) com a camisa mogiana. “Mogi das Cruzes foi sensacional para mim. Foram quatro anos de glórias, com dias bons e ruins, com vitórias e derrotas, que fazem parte do esporte. Estou fechando um ciclo bacana aqui. Vim para cá e não imaginava que ficaria quatro anos e iria dar esse ‘upgrade’ na minha carreira. Estou muito feliz e só tenho a agradecer a essa torcida que é fanática pelo basquete. Torço para que o projeto continue aqui por muitos anos para que esse povo continue lotando o Hugão, que é sensacional jogar lá. Estou muito feliz pelos quatro anos que estive aqui, pelos títulos, pelas convocações, pelos momentos difíceis que eu passei. Saio muito satisfeito. Tive um crescimento muito grande aqui. Espero que o time permaneça grande. Agradeço a todos por tudo”, ressalta Jimmy, que ainda aguarda definição sobre seu futuro.