Mogi encara o Pinheiros nesta sexta, às 21h10, em São Paulo
Os mogianos buscam a reabilitação das duas últimas derrotas sofridas para se firmarem na quarta colocação da competição/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Na briga para se manter entre os quatro primeiros do NBB Caixa (Novo Basquete Brasil), o Mogi das Cruzes/Helbor tem um confronto duro contra o vice-líder Pinheiros nesta sexta-feira, 8, às 21h10, em São Paulo. A partida será transmitida ao vivo pela Fox Sports.

Os mogianos buscam a reabilitação das duas últimas derrotas sofridas para se firmarem na quarta colocação da competição.

O time está à frente do Paulistano/Corpore com um jogo e uma vitória a mais. O Pinheiros ocupou o topo da classificação por muitas rodadas, mas deixou a liderança após derrota para o Sesi/Franca, no começo deste mês.

“O Pinheiros está vivendo um momento muito bom. Eles têm um grupo bem fechado e jogando muito coletivo. Bennett está sendo um dos candidatos a MVP do campeonato. Nos momentos decisivos ele está decidindo. O time deles não tem um cestinha. A cada jogo tem um diferente e isso é mais difícil de marcar. No jogo que fizemos aqui deixamos escapar algumas bolas e não pegamos alguns rebotes de ataque que deveríamos pegar. Será um jogo decisivo para a gente. Daqui para a frente são quatro jogos e é briga para ficar no G-4. O jogo é importante para eles também, que estão brigando para ficar em primeiro. Se a gente entrar com vontade teremos uma chance de voltar com a vitória”, adverte o ala e capitão Shamell Stallworth.

No jogo do primeiro turno, em outubro do ano passado, o time da capital venceu o Mogi das Cruzes/Helbor por 83 a 77 jogando no Ginásio Hugo Ramos.

“Esperamos um jogo duríssimo. O Pinheiros vem jogando bem, se manteve muito tempo em primeiro lugar e os jogadores vêm crescendo dentro do campeonato. É uma equipe fortíssima jogando dentro do seu ginásio. Eles vão usar a rotação que têm feito dentro do campeonato, mas vamos tentar fazer o nosso melhor para sair com a vitória”, ressalta o técnico interino Cadum Guimarães, que com o assistente Alexandre Rios substituem o técnico Guerrinha e o assistente Danilo Padovani, suspensos seis meses pelo caso de doping do ala Shamell Stallworth.

O clube já recorreu da decisão do TJDAD (Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem) que afastou os dois integrantes da comissão técnica.

Além de Guerrinha e Padovani, os mogianos não poderão contar com o ala-pivô José Carlos, que está em fase final de recuperação de uma artroscopia no menisco do joelho esquerdo, e com o ala-pivô Fabricio Russo, que está suspenso preventivamente e ainda aguarda julgamento para voltar a jogar.