Prefeitura de Mogi das Cruzes

O vereador e ex-presidente da Câmara de Mogi das Cruzes, Mauro Araújo (PMDB), alertou durante a sessão desta terça-feira, 24, que o Hospital Municipal de Braz Cubas está sofrendo com superlotação e excesso de pacientes (especialmente de crianças) em razão da estrutura precária (falta de hospitais, de médicos e de organização e de integração) do sistema público de saúde nas cidades do Alto Tietê.

Vários vereadores participaram do debate sobre o fato de moradores de várias cidades da região estar procurando o Hospital de Braz Cubas, o Pró-Criança e outros serviços de saúde de Mogi. O secretário de Saúde mogiano, Marcelo Cusatis, deverá participar da sessão do Legislativo nesta quarta-feira para tratar do assunto e também fazer o lançamento oficial da campanha de vacinação contra a gripe na cidade.

Mauro Araújo observou que nos próximos meses (com a chegada do inverno) a procura para hospitais públicos da cidade pelos mogianos deverá crescer e que o sistema poderá não suportar excesso de moradores de outras cidades que vão continuar procurando os hospitais de Mogi.

Em conversa com a reportagem do Jornal Oi, o vereador Mauro Araújo, revelou números que comprovariam a deficiência do atendimento em várias cidades do Alto Tietê  – que estaria sobrecarregando os serviços bancados pela prefeitura mogiana.

Com base em números da Secretaria de Saúde de Mogi, o vereador (que teve o apoio do colega e médico Chico Bezerra e de outros parlamentares) disse que neste mês de abril (que ainda não terminou) mais de 1,9 mil crianças foram atendidas no Pró-Criança de Mogi, sendo que deste total pouco mais de 600 informaram ser moradoras de Suzano e mais de 300 seriam de Ferraz.

Essas duas cidades, portanto, teriam contribuído para o excesso de atendimentos no Pró-Criança neste mês de abril – sendo que em março o Pró-Criança atendeu pouco mais de 1,1 mil crianças de Mogi e cidades vizinhas. Os governos de Suzano e Ferraz poderão se manifestar sobre o assunto nesta quarta-feira.