O ex-prefeito de Suzano e pré-candidato a deputado federal, Marcelo Candido, reuniu na noite de terça-feira dezenas de lideranças políticas, representantes de bairros e admiradores no salão paroquial da igreja São Sebastião, para uma plenária promovida pelo Instituto “Ideias no Lugar”. Na prática, a atividade serviu para Candido se apresentar como pré-candidato para o Congresso Nacional. A reportagem do Jornal Oi acompanhou a parte final da reunião e pode constatar o ‘apetite’ do ex-prefeito suzanense para a disputa eleitoral do ano que vem. Em certo momento Candido disse que disputou uma eleição pela última vez quando tinha 38 anos e que agora que completou 48 anos de vida estaria mais preparado para concorrer, vencer e levar todo o Alto Tietê para Brasília. Candido disse que pretende decretar o fim da mediocridade no que se refere a representação de Suzano e região no Congresso Nacional e assegurou: “Vou brigar muito para ser candidato. Estes caras estão enchendo o saco e no ano que vem o bicho vai pegar”, alertou Candido que não revelou os ‘nomes’ dos caras que estariam enchendo o seu saco. Participaram dos trabalhos, além de Candido e a direção do Instituto, o prefeito de Suzano Rodrigo Ashiuchi, o vice-prefeito Walmir Pinto, membros do secretariado municipal, membros da Câmara de Vereadores, além de representantes de partidos políticos de cidades como Mogi das Cruzes, Poá, Biritiba Mirim, Salesópolis, Santa Isabel e Ferraz de Vasconcelos.

Candido alerta para o retrocesso

Candido também se manifestou sobre rumos do país, comentou a atual agenda política e fez considerações sobre as expectativas da população para o futuro, diante das possibilidades das eleições de 2018. O ex-prefeito reforçou a necessidade de desempenhar o debate com a população de maneira contínua e franca, para que o debate de ideias propositivas seja o ponto forte da política regional e nacional. Para Candido, o debate honesto com a população evitará que seja concedido espaço as propostas que, eventualmente, possam causar a perda de direitos: “É necessário que façamos o debate político, temos que ter representantes que nos defendam de fato, com projetos claros. Precisamos ter a clareza que o debate político em 2018 será o mais duro de todos, onde viveremos novamente o momento de negação da política”, afirmou Candido.