Quem é (ou quem será) o candidato do PDT ao governo do Estado de São Paulo? Outra pergunta: o PDT vai apoiar alguns dos pré-candidatos já conhecidos? No caso o PDT que lançará Ciro Gomes para concorrer a presidente do Brasil, apoiaria Marcio França do PSB ou Luiz Marinho do PT? Para essas perguntas, praticamente ninguém (nem a cúpula do partido) tem respostas objetivas.

E por isso lideranças regionais do PDT estão se dando ao direito de sonhar ‘publicamente’ sobre quem poderá ser indicado (como azarão) para concorrer ao governo do Estado. Por que não o ex-prefeito de Suzano, Marcelo Candido, ser o candidato? A pergunta (balão de ensaio) tem sido feita nos bastidores pelo atual vice-prefeito de Suzano, Walmir Pinto.

Reservadamente, o principal parceiro politico de Candido, diz que o ex-prefeito de Suzano poderá fazer um grande papel como candidato, especialmente nos debatidos com João Doria. Mas tal sonho depende de Carlos Luppi (presidente e dono do PDT) e também de Luiz Antônio de Medeiros. A conferir.

E o ex-prefeito de Mogi e pré-candidato a deputado federal, Marco Bertaiolli (PSD) poderá ser vice na chapa de João Dória (PSDB), uma vez que Gilberto Kassab (enrolado na Lava Jato) e dono do PSD já declarou que não será o vice de Doria na campanha deste ano? A imprensa de SP tem informado que a ex-deputada Alda Marco Antônio poderá ser vice de Doria.

Mas do ponto de vista eleitoral, Bertaiolli poderá dar mais resultados a Doria que a veterana Alda. Mas as possibilidades de Bertaiolli e Candido são remotas. Mas, a simples menção aos nomes de duas lideranças do Alto Tietê (mesmo que tais menções sejam feitas por políticos da região) devem ser destacadas; pois indicam (mesmo que de forma remota) que a região tem lideranças com potencial para ocupar os maiores cargos políticos do Estado de SP e que, mesmo de forma muito lenta, a região começa a superar o complexo de vira latas que atinge parte dos políticos do Alto Tietê e atrasa o desenvolvimento da região.