Prefeitura de Mogi das Cruzes

Vimos na greve dos caminhoneiros uma série de apelos para que militares tomassem o poder. Não me esqueço de um rapaz, jovem, que numa entrevista na TV quando perguntado o motivo pelo qual ele pedia intervenção, respondeu: “Alguém precisa fazer alguma coisa”. Eu concordo plenamente com o desenvolvimento da opinião do rapaz. Sim, alguém precisa fazer alguma coisa. Não acredito que sejam os militares. Acredito que esse alguém seja eu e você.

Precisamos de um choque democrático. Enquanto as pessoas acharem que alguém resolverá seus problemas por elas a democracia continuará em falta e pedidos absurdos como intervenção militar continuarão acontecendo. Não é uma questão de culpa por termos chegado aonde chegamos, mas de responsabilidade de cada um em entender o seu papel na transformação positiva que tanto se exige.

Atenas, o berço da democracia, era um sistema direto de poder popular, uma democracia direta. O que significa que todos se reuniam e debatiam os assuntos e propostas publicamente e diretamente uns com os outros. Milênios depois desenvolvemos a democracia representativa. Em vez de ir debater e solucionar nossos problemas nós mesmos, por sermos muito numerosos, começamos a eleger pessoas pra fazerem isso no nosso lugar.

A criação da democracia representativa, não pode nos levar para a fuga da responsabilidade de exercermos o nosso papel. Isso quer dizer que ou aprendemos a ser democráticos (votar, fiscalizar e participar) ou seremos sempre engados por políticos mal intencionados que precisam da ignorância do povo para se perpetuar no poder. Gostaria de terminar citando Norberto Bobbio: “Acreditamos saber que existe uma saída, mas não sabemos onde está. Não havendo ninguém do lado de fora que nos possa indicá-la, devemos procurá-la por nós mesmos. O que o labirinto ensina não é onde está a saída, mas quais são os caminhos que não levam a lugar algum”.