Governo de Biritiba não se manifesta sobre pagamentos atrasados que podem prejudicar os pacientes no Pronto Atendimento
O governo ainda não se manifestou sobre o atraso nos pagamentos que a prefeitura precisa fazer ao INTS que é responsável pelos serviços médicos prestados no PA da cidade/ Foto: Glaucia Paulino/Oi Diário

Até o início da noite dessa quarta-feira, 27, o governo de Biritiba Mirim não se manifestou sobre o atraso nos pagamentos que a prefeitura precisa fazer ao Instituto Nacional de Amparo à Pesquisa, Tecnologia e Inovação na Gestão Pública (INTS) que é responsável pelos serviços médicos prestados no Pronto Atendimento (PA) da cidade.
Na noite de terça-feira o Jornal Oi denunciou que a prefeitura deve aproximadamente R$ 2 milhões ao INTS que mantém cerca de 70 profissionais atendendo a população no PA da cidade.

Esse atraso seria referente aos serviços prestados pelo INTS à prefeitura nos últimos três meses.

Ainda na terça-feira a reportagem do Jornal Oi esteve no gabinete do prefeito Jarbas Ezequiel e flagrou um grupo de funcionários assistindo a uma partida da Copa do Mundo.
Uma secretária afirmou que o prefeito tinha ‘viajado’ à São Paulo e que quem deveria esclarecer o assunto era a secretária de Saúde (Fernanda Abreu).
A reportagem não encontrou a secretária Fernanda, mas deixou avisado aos funcionários que estavam na Secretaria de Saúde que o jornal precisava dos esclarecimentos do governo sobre o atraso no pagamento ao instituto e principalmente uma informação oficial do governo sobre quando o pagamento será normalizado para que a população não fosse prejudicada.

Uma funcionária garantiu que a secretária Fernanda esclareceria o assunto ainda na manhã dessa quarta-feira, mas isso não aconteceu. Nesta quinta-feira o Oi voltará a questionar o governo do prefeito Jarbas Ezequiel sobre o assunto; mesmo porque existe o risco de a INTS suspender o atendimento aos pacientes por causa da demora da prefeitura em quitar suas dívidas com o instituto que foi contratado para fazer a gestão do Pronto Atendimento de Biritiba no final do ano passado.