Na sessão ordinária da última terça-feira, dia 13, o presidente do Legislativo isabelense Alencar Galbiatti (PSD) cobrou da prefeita Fábia Porto (PRB) informações sobre o fornecimento; as condições de transporte e cardápio das merendas oferecidas aos alunos da rede escolar municipal. Após o recebimento de denúncias, o vereador Alencar visitou algumas escolas do Município– fiscalizou as cozinhas, pontos de distribuição e constatou algumas falhas.

Em tribuna fez um alerta aos pais que possuem filhos em idade escolar, e que, ao verificar a falta de certos alimentos em algumas unidades percebeu os atrasos constantes nas entregas, principalmente pela falta de transporte. “Não tem pontualidade na entrega, a Prefeitura não está atendendo a demanda da maneira que tem que ser feita. Quem está perdendo a qualidade são as crianças!”, garantiu.

Outro ponto alto do discurso do vereador Alencar foi o não cumprimento do que está determinado pelos nutricionistas no cardápio, por falta de alguns ingredientes descritos no plano de alimentação.

 

“Infelizmente muitos alunos têm a refeição da escola como a principal do dia, e alguns alimentos são entregues e já dispensados pelas péssimas condições de consumo, como foi o caso das mandiocas e laranjas. O plano de alimentação não está sendo cumprido em nenhuma escola! Os carros que transportam as nutricionistas foram retirados dificultando suas visitas nas unidades mais distantes. Faço questão de acompanhar os senhores para confirmar o que estou relatando. Os funcionários fazem o que podem”, lamentou.

Debate, defesa e ataques

Os requerimentos provocaram debate no plenário, onde outros vereadores defenderam a Administração.  Maurício Platz (PHS) pediu aparte destacando que a cidade possui 32 escolas municipais, é difícil para a Secretária de Educação saber quais delas estão recebendo alimentos avariados, que este tipo de fiscalização é de competência da diretora e chefe do setor de merenda.

O vereador Márcio afirmou que não houve relatos das mães de que seus filhos não estão sendo alimentados. “Não há nenhum tipo de dolo por parte da Administração em relação a um assunto tão sensível e importante que é a alimentação das crianças. Os funcionários têm treinamento adequado para separar alimentos com pouca qualidade, acredito que possa ser feita uma exigência por parte da empresa que entrega esses produtos sim, mas alimentos danificados são entregues em qualquer restaurante, isso é comum”, opinou.

 

Luizão concordou que ao acompanhar Alencar na visita de uma das escolas, faltou a proteína do cardápio, mas alegou que foi substituída por outra com valor nutricional igual. “O resultado final é que importa! As merendas estão sendo servidas, e os valores nutricionais aplicados”, defendeu.

 

O vereador Alencar concluiu seu discurso garantindo que continuará suas visitas nas escolas, e pegando firme na fiscalização.