Especialistas em clima e inovação tecnológica vencem Nobel de Economia
William Nordhaus foi premiado por integrar o aquecimento global em análises macroeconômicas/ Foto: Divulgação

O prêmio Nobel de Economia de 2018 foi concedido nessa segunda-feira, 8, aos economistas americanos William Nordhaus e Paul Romer por estudos que unem inovação tecnológica e mudança climática para criar crescimento econômico sustentável.

William Nordhaus foi premiado por integrar o aquecimento global em análises macroeconômicas. Segundo a Academia Sueca, o economista é “o primeiro a criar um modelo quantitativo que descreve a interação entre a economia e o clima”.

Paul Romer, criador da Teoria do Crescimento Endógeno, se destaca por levar em conta inovações tecnológicas em suas análises. A Academia Sueca destaca que sua pesquisa “mostra que é o acúmulo de ideias que sustenta o crescimento econômico de longo prazo”.

Romer defende que as mudanças que têm mais impacto para o progresso são as que acontecem nas cidades – e não as decorrentes das grandes decisões nacionais. Seu modelo preferido é o das vizinhas Hong Kong e Shenzhen, metrópoles chinesas onde foram aplicadas políticas que aceleraram seu desenvolvimento e acabaram por transformar o país. O economista já propôs que a nova Cuba seja construída a partir de uma Guantánamo entregue ao Canadá.

O próprio Romer tentou implementar o que chama de “cidade-manual” em Honduras, projeto abandonado após problemas com o governo local.