Um suposto erro administrativo, atrelado a uma possível disputa por poder nos bastidores da prefeitura de Biritiba Mirim, poderá castigar ainda mais os moradores da cidade que dependem do, ainda precário, sistema público de saúde no município administrado pelo prefeito Jarbas Ezequiel (PV).

A reportagem do Jornal Oi recebeu nesta quarta-feira, 10, a informação de que o governo biritibano decidiu afastar de suas funções a empresa INTS que foi contratada no final do ano passado para fazer a gestão (ou seja garantir atendimento de qualidade) aos pacientes que procuram o Pronto Atendimento e outras unidades do serviço municipal de saúde.

A INTS contratou cerca de 60 profissionais e cumpriu com a sua missão até o início dessa semana quando foi comunicada que a empresa que fazia a gestão das unidades de saúde do município até novembro de 2017 retomaria o contrato que foi assinado ainda na gestão do ex-prefeito Carlos Taino, o Inho.

A reportagem do Oi apurou que a empresa ASBESSAN teria reassumido a gestão do Pronto Atendimento na madrugada dessa quarta-feira, simplesmente porque o governo de Biritiba (setores jurídico e administrativo) não teriam assinado um termo de distrato com a ASBESSAN que por esse motivo teria exigido a retomada (renovação) do contrato – situação com a qual o prefeito Jarbas teria, inicialmente, concordado.

Nos bastidores do governo de Biritiba comentou-se nas últimas horas que além da falha (incompetência) jurídica e administrativa em não fazer o destrato contratual com a empresa antiga, haveria também uma  queda de braço entre integrantes do 1º escalação do governo. Onde um lado forçou a retomada do contrato com a ASBESSAN e outro estaria disposto em manter a nova empresa contratada enquanto a prefeitura resolveria a questão administrativa e jurídica com a ASBESSAN.

População prejudicada

Na tarde desta quarta-feira o Oi encaminhou diversas perguntas ao prefeito Jarbas com o objetivo de esclarecer a situação. O prefeito e as empresas em questão poderão se manifestar nas próximas horas, mas o fato é que dentro do próprio governo de Biritiba existem avaliações de que a INTS  estaria mais qualificada a melhorar a qualidade do atendimento aos pacientes da cidade.

Dentro da prefeitura corre a informação de que o governo municipal já teria sido notificado pelo Ministério Público sobre problemas e deficiências da ASBESSAN que incluiria até dívidas com médicos que prestaram serviços a essa empresa. Por outro lado, a ASBESSAN está diretamente ligada aos péssimos serviços prestados à população durante o 2º mandato do ex-prefeito Inho.

Como o atual prefeito prometeu intensamente durante a campanha que melhorar a saúde era uma das prioridades de seu governo, espera-se que esse impasse (administrativo-político) não prejudique os biritibanos por muito tempo.