CPI vai investigar ‘compra’ de casa pela prefeita no Country Club de Santa Isabel
O objetivo da CPI é de apurar as declarações de bens firmadas pela prefeita Fábia Porto que demonstraram a evolução patrimonial repentina/ Foto: Arquivo/ Oi Diário
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Com o objetivo de apurar as declarações de bens firmadas pela prefeita de Santa Isabel Fábia Porto (PRB) – que demonstraram a evolução patrimonial repentina entre sua eleição e a posse em 1º de janeiro de 2017, assim como o súbito desaparecimento desse patrimônio na declaração apresentada em 2018 – os integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) se reuniram na manhã dessa sexta-feira, 5.

Presidida pelo vereador Reinaldo Nunes e secretariada pelo vereador Gabriel da Água, a Comissão também é composta pelos vereadores TiNagate, Zé da Mula e Paulinho Investigador. O presidente da Casa, Van do Negavan, acompanhou o início dos trabalhos.

Investigação deve se estender até o fim de novembro

Com um plano de trabalho já definido, a previsão inicial da entrega do relatório final está datada para o dia 26 de novembro. Mas antes disso, a expectativa é ouvir todos os envolvidos que fizeram parte do objeto principal da investigação: a aquisição ou não de uma casa no condomínio Country Club de Santa Isabel.

Nesta primeira reunião, o Jurídico da Casa foi instruído a coletar todas as documentações em diversos órgãos – como Junta Comercial do Estado de São Paulo, no Cartório Central do Brasil, Cartório Eleitoral e Receita Federal – para dar prosseguimento aos trabalhos já no próximo dia 22 de outubro, data que será realizada a segunda reunião da Comissão que já deverá ter os documentos em mãos e partir para a próxima etapa, as oitivas.

Segundo o presidente da CPI, vereador Reinaldo Nunes, antes havia muita especulação sobre a aquisição ou não de uma residência adquirida pela família da prefeita Fábia Porto, mas novos documentos, como: a matrícula, contrato e termo de quitação da casa já estão anexados no processo, servirão para amparar os trabalhos dos vereadores e muitos dos envolvidos poderão se esclarecer os fatos perante a Comissão.