Convido-lhe de coração aberto a ingressar nessa jornada e deixo apenas um aviso: é um caminho sem volta/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Nesta semana, mais especificamente no dia 27 de novembro, celebramos o Dia de Doar, uma mobilização que visa disseminar a cultura da doação no Brasil e no mundo, em busca de uma sociedade mais solidária e generosa.

Nesse dia, tive a honra de participar de uma ação que mais uma vez reafirmou dentro de mim a convicção que sempre tive: doar é emanar um bem, que depois retorna em dobro para nós.

Pudemos, a partir de uma doação de brinquedos feita pelo Fundo Social de Mogi, presenciar a conclusão de uma oficina lúdica e pedagógica ministrada às crianças atendidas por um equipamento social que serve de exemplo para toda a cidade. Ali, no rostinho de cada aluno, estavam estampadas a importância e representatividade daquela atividade que, num primeiro momento, parece algo tão simples. Mas não é!

Nesse mesmo dia, me lembrei da nossa Família Solidária, um programa que lançamos em abril deste ano para cadastrar pessoas dispostas a fazer o bem de maneira voluntária e direcioná-las para ações solidárias realizadas ao longo do ano.

A sementinha plantada lá no primeiro semestre gerou frutos incríveis. Hoje já são mais de 600 voluntários inscritos, 27 ações concretizadas e mais de 3.500 horas de trabalho voluntário inteiramente doadas em prol de ações sociais.

Os números impressionam, mas impressiona ainda mais saber que muitos não descobriram ainda a força do ato de se doar. Convido-lhe de coração aberto a ingressar nessa jornada e deixo apenas um aviso: é um caminho sem volta.