Desprezado e rejeitado pelo povo, Jarbas segue no cargo de prefeito em Biritiba; graças a uma liminar do TJ
Na última quinta-feira ele foi afastado do cargo pela Câmara de vereadores de Biritiba, mas conseguiu, na sexta-feira, uma decisão liminar da Justiça para continuar no cargo/ Foto: Glaucia Paulino/ Oi Diário
Prefeitura de Suzano

Até o final da manhã desta segunda-feira, 3, o prof. Jarbas Ezequiel (PV) seguia do cargo de prefeito em Biritiba Mirim. Jarbas segue no comando da prefeitura, apesar de todo o desprezo e a rejeição que o povo da cidade já dispensa ao chefe do Executivo que foi eleito em 2016 e desde que assumiu a direção do governo cometeu uma série inacreditável de lambanças e irregularidades.

Na última quinta-feira ele foi afastado do cargo pela Câmara de vereadores de Biritiba, mas conseguiu, na sexta-feira, uma decisão liminar da Justiça para continuar no cargo.

A meta dos vereadores e a expectativa de grande parte dos moradores da cidade eram de o vice-prefeito Walter Hideki Tajiri ser empossado ainda na sexta-feira, mas a decisão liminar impediu a posse do vice.

Não está descartada, entretanto, a posse de Walter Hideki ainda nesta segunda-feira – caso a liminar concedida para Jarbas seja cassada nas próximas horas.

A liminar foi obtida pela Procuradoria do Município que ingressou com uma ação em que alegou inconstitucional os dispositivos da Lei Orgânica e do Regimento Interno da Câmara Municipal que foram utilizados para o afastamento dele, e teve decisão favorável.

O prefeito foi denunciado por um morador da cidade após a divulgação de um vídeo em que aparece entregando maços de dinheiro a três vereadores da cidade. Os parlamentares foram afastados do cargo há uma semana.

Mandato de Jarbas já era investigado 

O vídeo, segundo o Ministério Público (MP), faz parte de uma investigação que começou em novembro de 2017 e apura o aumento no valor dos contratos na área da saúde. Ainda de acordo com o MP, o valor desses contratos durante a gestão anterior era de R$ 5 milhões e no governo do prefeito Jarbas o valor desses mesmos contratos saltou para R$ 10,7 milhões.

No entanto, em abril deste ano, uma Comissão Especial de Inquérito na Câmara arquivou o caso, com a ajuda dos vereadores que aparecem no vídeo recebendo o dinheiro.

Ainda no primeiro semestre deste ano, o prefeito foi afastado do cargo por determinação do Poder Judiciário, mas pode continuar no mandato porque a Justiça lhe concedeu o direito de recorrer no cargo.