Começo de disputa entre André do Prado e Gambale vai resolver os problemas do Hospital Regional de Ferraz?
Diversas questões chamam a atenção nesse caso, sendo que a principal delas tem a ver com uma disputa política entre André do Prado e o deputado novato, Rodrigo Gambale/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Suzano Refis

De acordo com a assessoria de imprensa do deputado estadual reeleito André do Prado (PR), a direção do Hospital Osiris Florindo Coelho (Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos) anunciou, nessa quinta-feira, 25,  a ampliação dos atendimentos às crianças na região do Alto Tietê.

Vão ser abertos, segundo a assessoria, 10 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) pediátrica, além de um pronto socorro infantil.

O deputado, segundo a sua assessoria, acompanhou o anúncio ao lado do coordenador da Secretaria de Estado da Saúde, Antonio Jorge, e do diretor do Hospital, Dr. Vanderlei de Almeida Rosa.

No final da tarde dessa quinta-feira, 25, a reportagem do Oi Diário questionou a assessoria de Prado sobre as datas em que os novos serviços serão oferecidos à população. A informação é de que eles poderão ser implantados a partir de 2019.

Diversas questões chamam a atenção nesse caso, sendo que a principal delas tem a ver com uma disputa política entre André do Prado (que se reelegeu para o 3º mandato) e o deputado novato, Rodrigo Gambale (PSL) que se elegeu por Ferraz.

A disputa parece evidente nesta semana quando o deputado eleito do PSL já tinha informado que os problemas do Hospital Regional, especialmente no que se refere a pediatria, seriam resolvidos ainda neste ano.

Em seguida André do Prado aparece no Hospital (ao lado do pré-candidato a prefeito em 2020 José Izidro) para anunciar serviços cuja implementação poderá acontecer em mais ou menos (ou nem acontecer) a depender do resultado do 2º turno da eleição ao governo de SP que será disputada neste domingo, 28.

Se os dois deputados conseguirem colocar em prática as promessas feitas nesta semana, os pacientes de Ferraz e região vão ser muito beneficiados. Mas o histórico de disputas políticas e promessas de deputados e prefeitos em relação ao Hospital Regional revela que o Hospital em vez de melhorar tem é piorado nos últimos anos.

‘Atendimentos poderão aumentar 10 vezes’ 

Com as ampliações, a expectativa, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, é de que os atendimentos cresçam cerca de 10 vezes, algo próximo a quatro mil / mês.

Para o parlamentar, as mudanças no hospital chegam em boa hora e mostram uma preocupação do Governo do Estado em deixar a unidade mais bem estruturada para o cuidado com as crianças.

“O Hospital Regional sempre foi uma referência no atendimento local e precisava deste reforço com serviços pediátricos, que representam uma das grandes demandas da região”, avaliou.

Para as medidas, serão contratadas equipes especializadas para gerir o pronto atendimento infantil e os 10 leitos de UTI pediátrica. O custo mensal estimado é de R$ 700 mil.

O PS será porta aberta, ou seja, disponível aos pacientes que buscarem de forma espontânea o serviço.

O chamamento para início dos serviços deve acontecer até o começo de 2019. “O objetivo é qualificar e fortalecer a assistência médica infantil no Alto Tietê”, disse o coordenador da Secretaria de Estado da Saúde.

“Há anos batalhamos pelas melhorias no Hospital Regional e graças à intermediação do deputado André do Prado, o Governo do Estado percebeu o quanto é estratégico para o sistema de saúde da região investir nesta unidade”, comentou o ex-prefeito José Izidro Neto.

Na atualidade, o hospital atende a 400 casos infantis, em média/mês, direcionados por outros serviços de saúde ou SAMU. O Regional realiza, no geral, 15 mil atendimentos mensais, 49 mil exames, 870 internações e mais de 250 cirurgias.