Com o ‘Casarão da Memória’ Suzano terá dez espaços culturais públicos ativos em 2019
As intervenções na residência que pertenceu à família Marques Figueira, localizada na rua Campos Salles, no centro da cidade, tiveram início nesta semana/Foto: Wanderley Costa/Secop Suzano
Prefeitura de Mogi das Cruzes

A Prefeitura de Suzano pretende inaugurar até junho de 2019 um “Casarão da Memória”, na área central. O prazo foi estimado na quarta-feira, 5, durante vistoria às obras realizada pelo prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR) e seu vice, Walmir Pinto (PDT). O espaço vai funcionar como uma espécie de museu da história da cidade e será administrado pela Secretaria Municipal de Cultura.

As intervenções na residência que pertenceu à família Marques Figueira, localizada na rua Campos Salles, no centro da cidade, tiveram início nesta semana. A casa foi construída no final da década de 1940 e, no passado, abrigou uma clínica médica.

As obras têm como objetivo recuperar a infraestrutura do local, como rede de água e eletricidade, telhado e outras estruturas, mantendo-se fiel ao estilo arquitetônico. O futuro “Casarão da Memória” tem 11 ambientes que vão receber exposições, acervo bibliográfico e audiovisual, salas destinadas a estudos e dedicadas à recuperação de documentos, fotos, filmes e outros registros da cidade.

A área externa também receberá melhorias, a fim de sediar apresentações musicais, exibições de filmes e para a realização de oficinas de artesanato e pintura. A data prevista para conclusão das obras de revitalização é para o primeiro semestre de 2019.

Segundo o vice-prefeito de Suzano, Walmir Pinto, o local representará um marco na preservação da cultura da cidade.

“A casa da família Marques Figueira foi a primeira a ser construída naquela região e queremos preservar sua história. Instalar um espaço voltado à memória de Suzano reforça o compromisso que temos com o nosso passado, a fim de fortalecer nossas raízes para o futuro”, explicou.

Para o chefe do Executivo, celebrar a história é fundamental para resgatar o orgulho de ser suzanense. “Por isso estamos trabalhando com afinco na recuperação do casarão. Queremos um ambiente que possa apresentar aos munícipes a história desta cidade e seus valores. Acredito que é mais uma obra que vai reforçar o orgulho de viver em Suzano”, afirmou.

O secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação, Elvis José Vieira, e o assessor especial da Unidade de Planejamento e Assuntos Estratégicos (Upae), André Chiang, também participaram da vistoria.

Oi cobra detalhes do Casarão. Prefeitura vai pagar aluguel

Depois que a Prefeitura revelou que a cidade terá um novo espaço cultural, a reportagem do Oi questionou o governo sobre a propriedade do imóvel e também sobre o total de espaços culturais públicos que poderão ser utilizados pela população após a inauguração do casarão:

“O casarão é locado. A limpeza e adequação do terreno foram feitas com mão de obra própria da Prefeitura e as obras são de responsabilidade da empresa WGD. Hoje há nove espaços públicos municipais de Cultura em Suzano: Teatro Dr. Armando de Ré, Casarão das Artes, Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi, Centro Cultural Colorado, Centro Cultural Vila Figueira, Centro Cultural Boa Vista, Centro Cultural Palmeiras, Ceu Jd. Gardênia e Cineteatro Wilma Bentivegna. Com a inauguração futura do Centro de Memória e do Centro Cultural da Casa Branca, serão 11 no total”.

No título dessa reportagem o Oi destaca o total de espaços culturais ativos em Suzano, que estarão disponíveis a partir de meados de 2019, sem incluir o Centro Cultural da Casa Branca.