Cobrado pelo Oi, secretário de Estado promete acabar em 60 dias com a ‘enrolação’ sobre a alça ao Rodoanel em Suzano
Em entrevista exclusiva ao Oi o principal assessor do governador Doria para a área de Logística e Transportes afirmou que vai analisar de forma técnica e criteriosa as informações que recebeu das lideranças políticas da cidade e região/Foto: Igor Sarilho/Oi Diário

Depois de ser ‘arrastado’ para dentro de um embate entre lideranças políticas de Suzano e região sobre onde seria o melhor lugar para a instalação de uma alça de saída do trecho Leste do Rodoanel em Suzano, o secretário de Estado de Logística e Transportes, João Octaviano Machado Neto, afirmou à reportagem do Jornal Oi que em um prazo de 60 dias (ou menos tempo ainda), a Secretaria Estadual de Logística e Transportes e o governo do Estado vão acabar com toda a enrolação e apresentar uma solução para a novela em que se transformou o projeto/obra da alça ao Rodoanel na cidade.

Em entrevista exclusiva ao Oi o principal assessor do governador João Doria (PSDB) para a área de Logística e Transportes (a entrevista em vídeo com o secretário pode ser conferida no site e na Facebook do Oi Diário) afirmou que vai analisar de forma técnica e criteriosa as informações que recebeu no início da tarde desta sexta-feira, 8, das lideranças políticas que participaram de uma visita na estrada dos Fernandes e não no local onde estava prevista até o ano passado a implantação dessa alça de acesso ao Rodoanel.

O projeto autorizado em 2014 pelo governo do Estado previa a construção dessa alça na altura do bairro Sete Cruzes, sendo que em 2018 o governo do Estado transferiu a alça para a SP-66.

Nesta sexta-feira, o secretário João Octaviano, ao lado de vários prefeitos e deputados esteve no bairro da Casa Branca que fica cinco ou seis quilômetros antes de Sete Cruzes.

“Vou analisar as informações que acabo de receber dos prefeitos e deputados que me apresentaram os prós e contras da implantação dessa alça aqui na estrada dos Fernandes ou na SP-66. O que queremos é acabar de uma vez com essa enrolação”, destacou o secretário demonstrando ter conhecimento do processo de politicagem que tem inviabilizado a construção do acesso e produzido um enorme prejuízo para Suzano e região.

Questionado pelo Oi, o secretário de Estado afirmou que em 60 dias poderá informar onde a alça poderá ser construída e quando a obra  será iniciada. O Oi ainda questionou o secretário sobre o risco de a ‘enrolação’ continuar por causa de eventuais dificuldades financeiras sofridas pelo consórcio SPMar que construiu e gerencia o trecho Leste do Rodoanel.

De acordo com o contrato de concessão entre o governo do Estado e SPMar, a construção da alça (seja na estrada dos Fernandes ou na SP-66) é/será de responsabilidade da SPMar que no ano passado entrou em um processo de recuperação judicial.

“Meu amigo, dificuldades financeiras e econômicas atingem a todos, mas todos precisam estabelecer prioridades”, pontuou o secretário que sinalizou que eventuais dificuldades financeiras da SPMar não poderão ser usadas como motivos para que a implantação dessa alça continue sem prazo para ser  instalada em Suzano.

Secretário promete dar respostas para Mogi até o final de fevereiro

Antes de visitar a estrada dos Fernandes, o secretário de Logística e Transportes, esteve em Mogi onde ouviu pedidos de investimentos feitos pelo prefeito Marcus Melo (PSDB), o presidente da Câmara, Sadao Sakai  (PR), o deputado federal Marco Bertaiollli (PSD) e outras lideranças políticas de Mogi e região.

E da mesma forma que fez em Suzano, o secretário de Estado ouviu atentamente os pedidos das lideranças e ao contrário de secretários de Estado de governos passados, João Octaviano se comprometeu em dar uma resposta aos pedidos até o final deste mês.

A postura do secretário de Estado animou as lideranças políticas de Mogi, especialmente o deputado Bertaiolli que já aposta na transformação de toda a região da Volta Fria, desde a Estrada do Pavan, na saída da Mogi-Dutra, até a avenida das Orquídeas, em Jundiapeba, em um novo complexo viário de trânsito, possibilitando ainda a implantação de um polo de desenvolvimento econômico e social com a atração de empresas, geração de emprego e renda.

De acordo com Bertaiolli, o cronograma do projeto, assim como a viabilidade orçamentária, será apresentado nas próximas semanas pela Secretaria Estadual de Logística e Transporte e pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

“O secretário pôde verificar in loco a importância desta ligação e a sua importância, tanto para a mobilidade urbana, como também para o desenvolvimento desta região”, destacou o deputado, que convidou o secretário para a visita técnica que ocorreu nesta sexta-feira durante uma audiência, em janeiro passado, na sede da Secretaria em São Paulo.

“O governador João Doria está descentralizando as decisões para os seus secretários, dando maior agilidade às decisões do Estado”.

A proposta é que o Governo do Estado faça a duplicação da estrada do Pavan, ligando a Mogi-Dutra à estrada da Volta Fria, ligando toda aquela região à avenida das Orquídeas, em Jundiapeba, e a Suzano.

“Esta avenida foi uma conquista de Mogi das Cruzes na época em que fomos prefeito da cidade. Com este novo complexo, teremos dois grandes eixos de mobilidade, descongestionando a SP-66”, destaca o deputado, acrescentando este mesmo projeto já foi apresentado 2010, na sua primeira gestão como prefeito.

O secretário, que recebeu um dossiê com todo o histórico das mãos de Bertaiolli, destacou que a proposta vem ao encontro dos ideais de desenvolvimento aplicados pelo governador João Doria.

“O Estado tem que ser o grande indutor deste desenvolvimento, criando novas alternativas de trânsito e polos de crescimento regionais”, afirmou Machado Neto, destacando que vir a Mogi das Cruzes a convite de Bertaiolli foi fundamental para conhecer de perto a demanda da cidade.

A visita do secretário e a apresentação das demandas não se limitaram apenas à estrada da Volta Fria. O deputado também falou da preocupação com a Mogi-Bertioga, que vem registrando diversas quedas de barreiras nos últimos tempos, assim como a realização das obras de duplicação da Mogi-Dutra no trecho da Rodovia Ayrton Senna até Arujá.