Biruta ‘esconde’ informações sobre os procuradores afastados do governo
O problema mais grave dessa postura do prefeito reside no fato de que a assessoria do Biruta estaria envolvida em supostas armações que resultaram no afastamento dos procuradores/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi

Nesta segunda-feira, 15, a reportagem do Oi Diário questionou o governo de Ferraz de Vasconcelos (comandado pelo prefeito Zé Biruta e o vice-prefeito Dr. Karim – que recentemente voltou ao governo depois de ter sido afastado do cargo pelo Poder Judiciário) sobre o desfecho do caso dos procuradores.

Cinco dos seis procuradores (advogados contratados por meio de concurso público para defender os interesses da prefeitura) foram afastados do cargo pelo prefeito em circunstâncias para lá de duvidosas.

O afastamento seria pelo prazo de dois meses e teoricamente esse prazo venceria no início desta semana. Até o fechamento dessa reportagem o governo do prefeito Zé Biruta não respondeu as perguntas enviadas pelo Oi Diário.

Essa postura do governo de Ferraz indica que o caso dos procuradores poderá se transformar em mais uma caixa preta da atual gestão em Ferraz.

Desde que o afastamento dos procuradores (eles foram acusados de práticas inadequadas no exercício de suas funções) foi confirmado, o prefeito Biruta só se manifesta (mesmo de forma precária e nada transparente) por meio de sua assessoria.

O problema mais grave dessa postura do prefeito reside no fato de que a assessoria do Biruta estaria envolvida em supostas armações que resultaram no afastamento dos procuradores por um prazo de 60 dias.

Confira a seguir as perguntas que o governo de Ferraz poderá esclarecer nas próximas horas. Por outro lado, os procuradores também poderão se manifestar sobre o caso nas próximas horas.

1 –  O prazo de 60 dias de afastamento dos procuradores já venceu (em qual data) ou vencerá quando?

2 – Qual foi o motivo do afastamento dos procuradores dos cargos da prefeitura de Ferraz?

3 –  Os procuradores já foram ou serão reintegrados na Procuradoria? Foram afastados em definitivo? Tiveram a suspensão ampliada?

4 – Nos dois meses em que ficaram afastados quanto em salários (no total) a prefeitura investiu nos procuradores?

5 – No período em que eles estiveram afastados, quais profissionais atuaram na Procuradoria? Quantos processos foram trabalhados na Procuradoria nesse período?