A suzanense com seu Zingaro de Lyw, 2º melhor resultado do Time Brasil/ Foto: Luis Ruas/Divulgação
Prefeitura de Suzano Refis

O Brasil não conseguiu ir ao pódio nos Jogos Mundiais Equestres de Tryon, nos Estados Unidos. Com uma equipe de adestramento formada pela suzanense Giovana Pass, Leandro Aparecido Silva, Pedro Tavares de Almeida e João Victor Marcari Oliva, o país viu a Alemanha faturar o título por equipes pela sexta vez, com 242,950%. A prata ficou com os Estados Unidos, com 233,136%, seguidos pela Grã-Bretanha, com 229,628%.

A prova do adestramento foi dividida em dois dias. Na abertura da competição, Leandro Aparecido Silva montando Di Caprio fechou sua apresentação com a nota média final de 63,171%. Pouco depois, Giovana Pass com Zíngaro de Lyw garantiu 65,217%.

No dia seguinte, competiram dois cavaleiros que já haviam participado dos Jogos da Normandia em 2014. O primeiro foi Pedro Tavares de Almeida, que registrou 62,578% montando Aoleo. Por fim, João Victor Marcari Oliva montando Xiripiti TVF registrou 65,512%, a melhor nota do país em Jogos Equestres Mundiais.

O próximo grande desafio internacional do adestramento brasileiro é o Campeonato Sul-Americano Senior, válido como qualficativa para os Jogos Pan-americanos 2019, entre 21 e 25/11, em Buenos Aires. Com os Estados Unidos já garantidos em Lima, o Brasil briga com Canadá e México pelas vagas restantes.