Bolsonaro terá peito para barrar o aumento ‘indecente’ ao STF?
O presidente eleito precisa focar realmente em questões sérias como é missão quase impossível de acabar com a ‘farra sem limites’ do Judiciário/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Suzano Refis

Nessa quarta-feira, 7, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) ‘atirou’ na direção certa ao afirmar que vê “com preocupação” o aumento de gastos que pode ser provocado caso o Congresso Nacional aprove a proposta de reajuste dos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do procurador-geral da República.

O Senado decidiu incluir na pauta de votação a análise de dois projetos que preveem reajuste para ministros do STF e para o procurador-geral da República.
Bolsonaro foi questionado por jornalistas como avaliava a tentativa do Senado de votar a proposta de reajuste.

“Acho que estamos numa que fase todo mundo tem ou ninguém tem. Sabemos que o Judiciário é o mais bem aquinhoado entre os poderes, a gente vê com preocupação… Obviamente que não é o momento (de aumentar gastos)”, disse o presidente que precisa focar realmente em questões sérias como é missão quase impossível de acabar com a ‘farra sem limites’ do Judiciário.