Baixaria e apelação em Poá: oposição aciona a Justiça para barrar eleição e evitar derrota na Câmara
Vereadores, assessores e até mesmo representantes do governo de Poá consultados pela reportagem garantiram que caso a votação não fosse barrada, o resultado seria de no mínimo 8 votos a 6 para a chapa governista/ Foto: Glaucia Paulino/ Oi Diário
Prefeitura de Suzano Refis

Era para ser, como destaca a Justiça Eleitoral do Brasil, ‘mais uma festa da democracia’, mas por conta do inconformismo (com uma derrota irreversível) dos vereadores de oposição da Câmara de Poá, transformaram a sessão extraordinária iniciada no Legislativo poaense no último sábado em um espetáculo degradante.

No sábado em questão, 3, seria eleita a nova mesa diretiva que comandaria o Legislativo de Poá nos próximos dois anos.

Duas chapas se inscreveram para a disputa, o grupo de vereadores considerados governistas (que defendem o governo do prefeito Gian Lopes – PR) indicou para concorrer à presidência o vereador Tio Deivão.

Já a oposição (ou seja, o grupo de vereadores que na teoria faz oposição ao governo de Gian Lopes) indicou para disputar a eleição e assumir o comando da Câmara (em caso de vitória) o vereador Azuir.

Ocorre que antes mesmo de a sessão extraordinária ser iniciada, a chapa encabeçada por Azuir decidiu acionar o Poder Judiciário em Poá para impedir a realização da sessão e por consequência da eleição.

Os vereadores da oposição, ao verem que seriam derrotados pela chapa governista, não hesitaram em pedir para a Justiça uma medida liminar com a finalidade de suspender a sessão e também a votação (pelos vereadores) que definiria a nova diretoria da Câmara.

Em rápida conversa com a reportagem do Jornal Oi, o vereador Pernoca, que integrava/integra a chapa de oposição, disse que o seu grupo alertou o Poder Judiciário sobre o descumprimento (por parte da mesa diretiva atual que marcou a eleição) de regras existentes no regimento e no estatuto da Câmara.

“Não havia nenhuma necessidade de fazerem uma sessão extraordinária para essa votação. A Justiça acatou nossos argumentos e deu a liminar que suspendeu a sessão. Agora as chapas terão de se inscrever novamente e a eleição poderá acontecer na terça-feira da outra semana (dia 13 quando ocorrerá à sessão ordinária semanal) ou em outra data no caso de uma nova sessão extraordinária”.

Pernoca não poupou críticas ao vereador Saulo Dentista que teria ‘mudado de lado’ momentos antes da votação na sessão extraordinária de sábado.

Vereadores que votariam na chapa do Tio Deivão lamentaram a iniciativa da chapa de oposição que em vez de promover a democracia, a oposição preferiu apelar para o ‘chamado’ tapetão quando percebeu que seria derrotada.

Vereadores, assessores e até mesmo representantes do governo de Poá consultados pela reportagem do Oi no final da manhã desta segunda-feira, 5, garantiram que caso a votação não fosse barrada, o resultado seria de no mínimo 8 votos a 6 para a chapa governista.

Nas próximas horas, a direção do Legislativo de Poá deverá informar sobre a derrubada ou não da liminar que impediu a votação dos vereadores no sábado e revelar um novo cronograma (a partir de um novo registro das chapas) para a eleição da mesa diretiva.

A expectativa é que na próxima votação, a Câmara e os vereadores de Poá consigam evitar novas baixarias e atos ofensivos à democracia.