Atlético-PR pode ser punido por apoio a Bolsonaro antes do jogo na Arena
A FIFA proíbe que seus filiados, seja confederações ou clubes, façam manifestações políticas durante partidas/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

O Atlético-PR deverá ser investigado pela FIFA após entrar com uma camisa em alusão as eleições. O árbitro Raphael Claus, de São Paulo, relatou na súmula da partida entre o Furacão e o América-MG, em que o Rubro-negro venceu por 4 x 0, na Arena da Baixada, que a maioria dos jogadores do time paranaense entrou com uma camisa amarela escrita ”Vamos todos juntos por amor ao Brasil”.

A frase vem sendo usada por apoiadores do candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL). A entidade máxima do futebol mundial proíbe qualquer manifestação política durante as partida.

Segundo o UOL, dois especialistas em direito desportivo afirmaram que o ato político é claro e que dificilmente o Atlético-PR não será investigado pela Fifa.

O clube pode ser punido com uma multa ou até mesmo uma eliminação do Brasileirão, o que é pouco provável, uma vez que seria a primeira infração do Furacão neste sentido.

A FIFA proíbe que seus filiados, seja confederações ou clubes, façam manifestações políticas durante partidas. Os jogadores também são proibidos, vide fato ocorrido na Copa do Mundo da Rússia. Os suíços Xhaka e Shaqiri receberam multas após comemorarem seus gols com referência à Albânia frente a Sérvia. Os dois países são adversários políticos históricos.

O artigo 4 do Estatuto da Fifa diz que a entidade, e consequentemente todos regidos por suas regras tem neutralidade política e em pelo menos outros dois códigos, o de conduta e o de ética, é citada a importância de membros de futebol evitarem esses temas quando estiverem em campo.