Após derrota em SP, Mogi se prepara para enfrentar o Botafogo do RJ no Hugão
O Mogi /Helbor e Pinheiros fizeram uma partida muito disputada nesta noite em São Paulo. O jogo foi equilibrado até o final, mas fechou com vitória do time da capital por 78 a 71/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Após derrota para o Pinheiros na última sexta-feira, em partida disputa na Capital, o Mogi Cruzes/Helbor já se prepara para o jogo contra o Botafogo do Rio de Janeiro que está marcado para às 21h10 de sexta-feira, 15, no Ginásio Hugo Ramos, o Hugão.

Depois, a equipe ainda terá mais dois jogos duríssimos fora de casa contra o Sendi/Bauru, dia 24, às 11 horas, e o Sesi/Franca, no dia 26, às 20 h, para fechar a fase de classificação.

O Mogi /Helbor e Pinheiros fizeram uma partida muito disputada nesta noite em São Paulo. O jogo foi equilibrado até o final, mas fechou com vitória do time da capital por 78 a 71.

O vice líder do NBB Caixa (Novo Basquete Brasil) venceu os três primeiros quartos (16 a 12/22 a 21/22 a 17) e os mogianos o último, por 21 a 18. Apesar da derrota, o Mogi das Cruzes/Helbor ainda se manteve no quarto lugar da competição, com uma vitória e dois jogos a mais que o Paulistano/Corpore.

O problema é que depois do Botafogo o time de Mogi irá enfrentar, fora de casa, duas equipes muito fortes e terá de lutar muito para não terminar a fase de classificação fora do G-4.

Os destaques do time foram o pivô JP Batista, com um duplo-duplo de 18 pontos e 12 rebotes, o ala Shamell Stallworth, cestinha do jogo com 20 pontos, e os armadores Arthur Pecos, com 11 pontos, cinco rebotes e quatro assistências, e Enzo Cafferatta, com nove pontos e quatro assistências.

Os mogianos ficaram sem o ala-pivô Luís Gruber ainda no primeiro quarto, após sentir dores no joelho esquerdo em um lance com o armador Bennett ao subir para uma bandeja. O camisa 20 começará um tratamento de fisioterapia já neste final de semana, mas ainda passará por exames para saber a gravidade do problema.

“O jogo foi equilibrado a maior parte do tempo. Levamos o jogo igual no primeiro tempo, que foi o planejado durante a semana para cortar o ímpeto do Pinheiros, mas caímos no terceiro quarto. Eles abriram uma vantagem perigosíssima, mas no último período o time foi bem. Encostamos e dominamos o jogo por algum momento, mas o basquete é dinâmico e te pune rapidamente, dependendo do que acontece. No final do jogo, em duas bolas decisivas, erramos a nossa defesa na rotação e o Isaac chutou livre do canto e acertou uma bola de três, abrindo para seis. Depois tivemos um erro de passe no ataque. Então, duas bolas que acabaram construindo a vitória do Pinheiros no final. Foi uma vitória com mérito. O time não está na ótima colocação à toa. Tem rotação e ainda perdemos o Gruber no primeiro tempo. Não tínhamos nenhum jogador na posição quatro para repor, sem Fabricio [Russo, suspenso] e José Carlos [voltando de lesão]. Jogamos com o Filipin, o Shamell e o Gui Deodato (todos alas) para tentar ajustar. Claro que ainda queremos brigar pelo quarto lugar, mas o mais importante é o time estar brigando e melhorando a cada dia para chegar forte no playoff”, adverte o treinador interino Cadum Guimarães, que substitui o técnico Guerrinha, que cumpre suspensão.