Apesar dos ‘protestos dos colegas’ presidente banca a decisão de ‘acabar’ com os carros oficiais na Câmara
O presidente do Legislativo ressaltou que a decisão foi necessária para regularizar as contas da Câmara junto ao TCE-SP/ Foto: Haln Jr e Ricardo Bittner
Prefeitura de Suzano Refis

A decisão do presidente da Câmara de Suzano, Leandro Alves de Faria (PR), o Leandrinho, de permanecer com apenas dois dos 21 carros da frota do Legislativo resultará em uma economia anual aproximada de R$ 247 mil aos cofres públicos.

Do total de veículos da Casa de Leis, 16 serão disponibilizados à administração municipal e três serão devolvidos à empresa locatária, que terá o contrato rescindido. O Legislativo suzanense ficará com apenas dois veículos que serão de uso exclusivo da administração da Câmara.

Esse valor de R$ 247 mil é uma média dos gastos totais que o Legislativo teve no período de novembro de 2017 até outubro deste ano.

Nestes 12 meses, a Câmara pagou R$ 105.784,08 em combustível e óleo, R$ 74.828,40 em manutenção, R$ 12.136,28 em seguro veicular, R$ 5.956,10 em documentação e R$ 3.705 com a limpeza dos veículos. Já com a locação dos três veículos, o custo neste período foi de R$ 44.531,64.

“Este valor que a Casa de Leis passa a economizar a partir de agora será devolvido à Prefeitura. Com isso, o prefeito Rodrigo Ashiuchi (PR) terá mais recursos para investir na nossa cidade”, argumentou Leandrinho.

O presidente do Legislativo ressaltou que a decisão foi necessária para regularizar as contas da Câmara junto ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP). Ele explicou que desde 2011 os presidentes da Casa de Leis vêm recebendo apontamentos em suas contas anuais por conta do uso da frota, entre outros assuntos.

“Alguns vereadores não concordaram com essa decisão. Mas é algo que era necessário fazer. No final, a cidade ganhará com isso”, afirmou o presidente por meio da assessoria do Legislativo.

Aditamentos no contrato da obra da nova Câmara

Na sessão ordinária desta quarta-feira, 7, às 18 horas, a Câmara de Suzano discutirá e votará dois itens. O primeiro é o projeto de lei complementar de autoria do vereador Edirlei Junior Reis (PSD), o professor Edirlei, que revoga um parágrafo da lei complementar municipal de 2013 que instituiu o Passe Livre Estudantil, que garante a gratuidade no sistema de transporte coletivo de passageiros a alunos de Suzano.

De acordo com a legislação em vigor, para requerer o benefício, o estudante deve informar que não existe escola de nível fundamental ou médio nas proximidades de sua residência, ou que não conseguiu vaga para matrícula na escola mais próxima de sua casa.

Segundo o vereador, há “um elevado número de estudantes da rede estadual” prejudicado por não obter esta declaração, item que ele busca retirar da lei.

O segundo item da pauta é a votação do relatório final da Comissão Especial de Inquérito (CEI) destinada a apurar eventuais responsabilidades de três ex-presidentes da Casa de Leis sobre os aditamentos realizados para a construção da nova sede do Legislativo suzanense. A CEI foi criada a pedido do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo.

Audiência pública

Também amanhã, às 14 horas, o projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019 será discutido em audiência pública na Câmara de Suzano. A propositura, de autoria do Executivo, começou a tramitar no Legislativo no final de setembro. A audiência é aberta ao público, que poderá fazer perguntas por escrito.